segunda-feira, 31 de maio de 2010

O PASSE - ESTUDADO POR CIENTISTAS



EVANGELHO MUSICAL INFANTIL


SEMINÁRIO ESPÍRITA EM PERNAMBUCO



PAIS E FILHOS - Por Içami Tiba

Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Dr. Içami Tiba, em Curitiba, 23/07/08, membro eleito do Board of Directors of the International Association of Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho "Via de Acesso". Professor de cursos e workshops no Brasil e no Exterior.
Em pesquisa realizada em março de 2004, pelo IBOPE, entre os psicólogos do Conselho Federal de Psicologia, os entrevistados colocaram o Dr. Içami Tiba como terceiro autor de referência e admiração - o primeiro nacional.
1º- lugar: Sigmund Freud;
2º- lugar: Gustav Jung;
3º- lugar: Içami Tiba.

Seus conceitos para relacionamentos familiares:

1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc...

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7. Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.

9. É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'.

13. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.

18. Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).

19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.

20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.

21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.

22. Pais e mães não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. 'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

26. Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.

"A mãe (ou o pai!) que leva o filho para a igreja, que tenha uma religião não importa qual seja , não vai buscá-lo na cadeia..."

Fica para nossa reflexão.


PROGRAMA MÚSICAS DA ALMA

A Rádio Fraternidade (Belo Horizonte), através do programa "Músicas da Alma", entrevistou ontem os cantores e compositores espíritas ERY LOPES & JOÃO LÚCIUS. Além de contar sobre seu trabalho de evangelização musical, a dupla falou sobre a importância da Música Espírita, como ferramenta valiosíssima no plano evolutivo da humanidade, citando como referência principal, o livro "OBRAS PÓSTUMAS" de Allan Kardec, especificamente nos capítulos: "Música celeste" e o seguinte "Música espírita".
Se você não pode acompanhar a entrevista, tem mais duas chances, mediante os reprises que a emissora reproduz via internet:
Terça, 21h e sexta, 18h.

Visite o site e ouça a Rádio Fraternidade

domingo, 30 de maio de 2010

ESPIRITUALISMO NO FINAL DE "LOST"


Se você é um entre as dezenas de milhões de cidadãos deste mundo que já tiveram o privilégio de acompanhar Lost, a série de TV mais notável produzida em muitos e muitos anos, certamente tem pelo menos uma idéia do que estou falando.

Talvez você tenha abandonado o barco (ou seria a ilha?) pelo meio do caminho quando os Outros entraram de vez na jogada, ou quando a Relatividade do Tempo passou a integrar organicamente o enredo ou ainda quando percebeu que boa parte dos mil mistérios levantados ao longo desses seis anos, definitivamente, não seriam "solucionados" na trama...

Se você se encaixa em alguma das categorias de "desertores" ou se é alguém que nunca se interessou por acompanhar a história do avião que caiu na ilha-das-coisas-estranha, permita-me a franqueza: você não sabe o que está perdendo!!! Não faz idéia da conclusão profundamente inspirada e, em todos os sentidos, transcendental, com que os produtores Damon Lindelof e Carlton Cuse coroaram o enredo mais debatido da década.

Naturalmente, para apreciá-lo em toda a sua magnitude, é preciso, mais que entender, sentir aquilo que realmente fez da trama algo cativante e arrebatador: Lost sempre foi uma história sobre pessoas em busca de algo. Inicialmente de serem resgatadas da ilha deserta onde caíram, depois de sobreviverem em condições precárias enquanto aguardavam resgate, depois de descobrir o que era uma certa "escotilha" hermeticamente fechada no meio da floresta, depois de salvar o mundo ao digitar uma senha num computador dos anos 70, depois de lidar com os outros habitantes da ilha, depois de fazer contato com uma certa fragata, depois de retornar ao ponto de partida...

Em outras palavras, Lost é uma profunda metáfora da condição humana. Afinal de contas, o que dá sentido ao mundo senão a nossa incansável busca por alguma coisa? Desde que chegamos a estas paragens, nosso anseio por viver, conquistar, crescer, ganhar, superar e entender sempre foi o móvel das grandes transformações por que ele passou.

Ao longo da caminhada, a gente criou, inventou, estudou, pesquisou, propôs hipóteses, criou teorias. Não porque essas coisas fossem essenciais por si, mas, antes de tudo,
para satisfazer nossa própria necessidade de encontrar sentido para as coisas que nos cercam.

Dessa forma, não foi à toa que os mistérios e a mitologia ganharam corpo na trama de Lost. Eles são elementos sempre presentes na jornada humana. Mas, assim como na vida, no enredo da série eles nunca foram mais do que acessórios para
a história que realmente importa: a da nossa busca por realização.

Realização que passa necessariamente por dores, lutas, lágrimas e incompreensão. Mas que, mais cedo ou mais tarde
, chega sempre a um fim, no qual poderemos olhar para trás e dizer: "Valeu a pena!", enquanto confraternizamos com as pessoas cujas lutas, derrotas e vitórias se tornaram parte essencial de nossa própria caminhada.


Será aqui ou agora que esse momento virá? Muito provavelmente não. Porque este é apenas o palco dos nossos primeiros dramas, a escola das lições primárias para a Vida Plena a que estamos todos destinados.

Só além das limitações do espaço e do tempo, das restrições do nosso ego, das imposições do nosso apego é que encontraremos esse algo que sempre nos moveu à busca. E então, quando o momento chegar, finalmente será hora... de seguir em frente.
PS. Eu não poderia deixar de reverenciar, nesse "momento derradeiro", o Davi Garcia e a Juliana Ramanzini, editores do blog Dude We Are Lost, pela dedicação, pelo empenho e pela forma tão especial de tratar da série ao longo desses anos. Muito obrigado, pessoal!



Reproduzido do Blog: ESPÍRITO DE ARTE

quinta-feira, 27 de maio de 2010

PORTAL HUMANIZAR


Conheça o Projeto Humanizar, baseado na proposta de "Atitude de Amor" por inspiração do Espírito Ermance Dufaux.
A ideia central é a de que precisamos desabrochar a terceira fase do Espiritismo, sendo que a primeira foi de fenomenologia e a segunda de estudo. Não é que os fenômenos se cessaram ou que acabou o que tínhamos por estudar, mas sim que já é hora de aplicarmos o que já aprendemos, mediante o que já vimos. Este é o momento de agirmos em favor da nossa reforma íntima.
Conheça o projeto e informe-se sobre as atividades desse movimento.

Acesse agora o Portal Humanizar


quarta-feira, 26 de maio de 2010

CONTEÚDO INTERNACIONAL

Estamos inaugurando a postagem de conteúdo internacional: livros, apostilas e outras mídias espíritas em outros idiomas, a começar pela língua do honroso Codificador Allan Kardec.
Entre as obras publicadas, temos o material didático SPIRITISME - Étude Systématisée, que é o mesmo que utilizamos para o Curso on-line oferecido pelo nosso portal.

Para acessar essa novidade, clique na bandeira francesa, localizada no canto inferior direito da capa do nosso site.


terça-feira, 25 de maio de 2010

JANTAR BENEFICENTE COM ERY LOPES E JOÃO LÚCIUS

NEWSLETTER


Assine gratuitamente o Newsletter INFORME LUZ ESPÍRITA e receba em seu e-mail as novidades do Movimento Espírita em primeira mão.
Você também pode cancelar o recebimento dos informes a qualquer momento, bastando comunicar via e-mail.

Cadastre seu endereço eletrônico enviando um email e deixando seu nome para:

quarta-feira, 19 de maio de 2010

UM OLHAR DO PARAÍSO


O plano espiritual pela ótica de Steven Spielberg bem ao nosso alcance em "UM OLHAR NO PARAÍSO". O filme mostra a história de uma menina que, depois de assassinada, tenta ajudar o pai a desvendar seu crime.
Depois de uma boa temporada nos cinemas, agora o drama está disponível em DVD e merece a apreciação.


HOJE TEM PALESTRA ESPÍRITA PÚBLICA

terça-feira, 18 de maio de 2010

COLUNAS ESPÍRITAS


O Site Espiritando acaba de lançar mais um atrativo para seus visitantes: Colunas Fraternas, com a participação de seareiros espíritas de diversos lugares.
Hoje, por exemplo, dois artigos já foram publicados: Ery Lopes escreveu "O progresso e o Espiritismo". e Elizabete Lacerda dissertou sobre "O significado da vida".

Acesse o site e confira os textos: www.espiritando.com.br

NEWSLETTER


Assine gratuitamente o Newsletter INFORME LUZ ESPÍRITA e receba em seu e-mail as novidades do Movimento Espírita em primeira mão.
Você também pode cancelar o recebimento dos informes a qualquer momento, bastando comunicar via e-mail.

Cadastre seu endereço eletrônico enviando um email e deixando seu nome para:

ÉCIO BUCK - GOTAS DE LUZ

Olha que bacana: o cantor e compositor espírita Écio Buck acabou de lançar seu segundo CD solo (depois de sua passagem pelo Grupo Vocal União & Harmonia) e ao mesmo tempo disponibilizou todas as faixas desse álbum -- "Gotas de Amor" -- para o Painel da Música Espírita, dentro do nosso Portal, onde você pode baixar as músicas em formato mp3.
"GOTAS DE AMOR", "A CANDEIA E O ALQUEIRE", "DIÁLOGO ASTRAL MAIOR" e outras canções espíritas de Écio Buck e vários intépretes estão ao seu alcance.

Acesse agora o nosso Painel da Música Espírita.

Visite também o Blog do Écio Buck

segunda-feira, 17 de maio de 2010

CURSO ON-LINE DE ESPIRITISMO

Somente com estudo sistematizado, regular e disciplinado é que alcançamos um aprendizado satisfatório. Pela importância e complexidade da Doutrina Espírita, somente um curso ´serio e continuado pode fornecer um preparo para os que realmente querem promover sua Reforma Íntima.
Pensando nisso, o Portal Luz Espírita promove o Curso on-line de Espiritismo. E para melhor atender à grande demanda, estamos reformulando o formato operacional e brevemente lhe informaremos os novos procedimentos, tanto para quem já está em curso conosco, como para os iniciantes. Aguardem!

Abraço fraterno de toda equipe Luz Espírita.

FEIRÃO DO LIVRO

FESTA NO A CAMINHO DA LUZ

Este domingo passado foi de festa no nosso Núcleo A Caminho da Luz por conta do evento especial "Almoço da Amizade", em que trabalhadores, frequentadores e amigos do nosso Centro Espírita puderam compartilhar juntos de uma festa de confraternização.
O almoço beneficente foi um sucesso e o clima o tempo todo foi de descontração e fraternidade. A verba arrecadada com a vendo dos convites e demais promoções será destinada às obras de manutenção dos trabalhos da casa, que passa por reformas para melhor atender às necessidades no atendimento ao público.
Além dos deliciosos pratos, o salão foi tomado pela música ao vivo, com a participação do Grupo Vocal Vinha de Luz, Ery Lopes & João Lúcius e pela banda Badaboom.
A Casa agradece a todos que participaram e ajudaram a colorir aquela linda tarde.
Aos que não puderam vir, fica a expectativa para os nossos próximos eventos.

sábado, 15 de maio de 2010

ESCUTANDO SENTIMENTOS - Ermance Dufaux


Ermance Dufaux -- valoroso Espírito na colaboração da seara espírita-cristã -- mais uma vez se apresenta pela psicografia de Wanderley S. Oliveira e nos traz uma mensagem de inestimável valor, para nossa edificação espiritual.

Em "ESCUTANDO SENTIMENTOS -- A atitude de amar-nos como merecemos", a nobre entidade nos alerta para um despertar no sentido do autoamor, autocompreensão e autovalorização, como ponto de partida para o comprometimento coletivo, afinal, é preciso estar bem para colaborarmos no bem comum.

Este e outros livros, você encontra para download em formato PDF na nossa Sala de Leitura.

PALESTRA E MÚSICA ESPÍIRTA


TEATRO ESPÍRITA - NOSSO LAR


sexta-feira, 14 de maio de 2010

NOVO LIVRO EM NOSSA SALA DE LEITURA

Mais um título incluso em nossa Sala de Leitura: "SABEDORIA DE PRETO-VELHO", pelo Espírito Pai João de Aruanda, psicografado por Robson Pinheiro. Veja a sinopse do livro:

Sabedoria de preto velho é um testemunho de fé na vida. Composto por mensagens e reflexões, este livro é escrito no linguajar simples do ancião negro, que partilha a sabedoria adquirida no cativeiro. Pai João conversa a respeito de alegria, corageme jovialidade, perdão e trabalho. Discurso leve de otimismo escancarado, mensagem de esperança de quem acredita no poder do homem de conquistar-se a si mesmo. Palavra amiga, conversa simples do negro que vê a liberdade por trás das correntes que prendem o homem aos desafios da vida terrena. Texto enriquecido com cânticos dos escravos, comentados pelo médium Robson Pinheiro, que elucida seu significado espiritual e os ilustra com casos vividos durante os 30 anos de convivência com o espírito amigo.

Baixe esse e outros livros de estudo na nossa Sala de Leitura.

PIZZA DANÇANTE EM SUZANO, SP


CASA DO CAMINHO MEIMEI


ANIVERSÁRIO DO JACOB - Tatuapé - São Paulo, SP


terça-feira, 11 de maio de 2010

PROGRAME-SE



APLAUSO NA CASA ESPÍRITA

Curioso este título, não? O que tem a ver o aplauso com as instituições espíritas? Será que teremos que aplaudir os palestrantes (após suas exposições) ou os médiuns (após alguma atividade)?
Nada disso! Não se trata do “elogio à vaidade”, nem o “afago de egos”. Referimo-nos, isto sim, ao reconhecimento do público aos bons trabalhos de natureza artística que tenham como palco nossos centros.
O quê? Não há apresentações artísticas e literárias, de natureza cultural espírita, na “sua” instituição? Que pena!
Bem que eu já tinha visto preconceito em relação à arte espírita, com gente “torcendo o nariz”, olhando “atravessado”, ou fazendo “cara feia”... Muitas pessoas, infelizmente, ainda consideram o centro um “lugar sagrado”, onde predominam a sisudez, a contrição, o semblante fechado e o cumprimento de “obrigações”. Certos condicionamentos ou paradigmas, assim, criados por uns e alimentados por outros, sem análise e discussão, acabam virando “dogmas” no movimento espírita.
Considerando-se a arte como um “veículo” de difusão das idéias espíritas, as apresentações espíritas devem ocupar os espaços públicos das instituições, não somente nos chamados eventos comemorativos ou especiais, mas no próprio dia-a-dia da seara.
Certo dia, conversando com um velho dirigente, ele me disse que o público que vem a casa, chega cheio de problemas, necessidades e carências, e, desta forma, vem à procura do lenitivo da mensagem (palestra) e do passe. Então, este poderia não “entender direito” se, ao invés de uma palestra “sobre o Evangelho”, houvesse lá na frente um “punhado” de jovens apresentando teatro
Eis a dura e triste realidade.
Os jovens – quase sempre os realizadores das apresentações artísticas, sejam elas cênicas ou musicais – ainda são vistos como um “gueto”. Lutam, árdua e corajosamente, para garimpar espaços. Demoram muito tempo mesmo para obter a valorização do (bom e belo) trabalho que fazem. Todos nós passamos por isto. Em outro artigo que escrevemos, há algum tempo, perguntávamos logo no título: “Serão conservadores os nossos jovens, amanhã?”, como a representar que, na idade madura, nós acabamos minimizando sonhos e lutas, contentando-nos com a rotina ou arriscando-nos muito pouco. Felizes são os que conseguem cultuar o espírito jovem por toda a vida.
O aplauso, assim, é sempre bem-vindo! Algum músico ou ator já disse que ele é o “combustível do espetáculo, do trabalho artístico”, na esteira do que Milton Nascimento sentenciou: “[...] todo artista tem de ir aonde o povo está”. Aplaudir (e sorrir), demonstram satisfação com o resultado, apreensão das idéias, entendimento da mensagem, emoção e sintonia com a proposta. Há, é claro, aplausos mais simples, e outros, mais efusivos. Há os que se levantam da cadeira e gritam: - Bravo! Muito bem! Há os que vão até o “camarim”, a “coxia”, para apertar as mãos dos atores ou músicos, ou os que assistem mais de uma vez o espetáculo ou apresentação. Há os que querem bater fotos com atores e músicos, estes ainda caracterizados ou “uniformizados”. Tudo isto é sinal de simpatia, de reconhecimento da qualidade do trabalho. E, convenhamos, não há dinheiro que pague estas manifestações autênticas e sinceras.
O aplauso, assim, não vai fazer “baixar a vibração”, não vai atrair “espíritos zombeteiros”, não vai tumultuar o ambiente, senhor dirigente! Ele vai, sim, enriquecer ainda mais o processo de interação entre público e artista espírita. Vai, ainda que através de gestos ou linguagem não falada, constituir o próprio processo comunicativo, através da interação, da simbiose, da empatia.
Lembro-me, ainda, de uma confraternização estadual de jovens espíritas, no início da década de noventa. Reunidos, mais de 400 jovens, em cinco dias de trabalho, estudo, confraternização e arte. Uma beleza! Ainda mais, porque realizado em pleno período das festas de Momo, quando, costumeiramente, a juventude bacana dos centros foge do burburinho das festas carnavalescas, buscando o refúgio da confraria espírita-jovem, na alegria, no carinho, na fraternidade. De repente, lá pelo segundo dia de encontro, um dos dirigentes – ainda relativamente jovem – propôs: - Gente, eu queria fazer uma sugestão... Vamos substituir o aplauso, que faz barulho, e às vezes “agride” nossos ouvidos por um “sacudir de mãos”, assim, para o alto... E, mexeu as mãos, simultaneamente, como a sacudi-las, demonstrando como deveria ser o novo “aplauso”. Assim – continuou ele – os grupos que se apresentam sabem que estamos contentes e gostamos do número musical ou teatral e os “espíritos superiores” não ficam aborrecidos com o excesso de barulho que possamos fazer.
Sim, é isto mesmo que você acabou de ler... Os espíritos “superiores” ficam desgostosos porque batemos palmas...
Tais anátemas ficam por aí, se proliferando, virando verdades absolutas, alimentando, mais e mais, o preconceito contra a legítima arte espírita.
Fico a me lembrar de Jesus, que precisou ser enérgico (e ruidoso) em algumas circunstâncias, mas revelou-se manso e pacífico em tantas outras... Há quem revele um Cristo sisudo, compenetrado ao extremo, triste até, nas suas andanças e conversações. Não creio nisto, sinceramente. Basta ver, perto de nós, o exemplo do Chico, que ria, até das suas duras provações e dificuldades. Que sempre era visto – apesar das dores atrozes – sorrindo para todos. Prefiro ficar com a imagem literário-poética de J. J. Benítez, no seu Operação Cavalo de Tróia, nos mostrando um Jesus feliz, até brincalhão, bem-humorado em várias oportunidades, sobretudo em meio às crianças e jovens de seu tempo, não obstante, durante os três anos de andanças de seu ministério de amor, fundando a “Casa do Caminho”, precisasse de toda a concentração e seriedade nos momentos de ensino e prática mediúnica.
Assim devem ser os ambientes espíritas. Sérios no trato e no exercício das faculdades mediúnicas, mas sem perder a graça, a alegria, a jovialidade e a leveza das apresentações artísticas. Como Che, poderíamos repisar: “[...] hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás”, representando que a atividade espírita, eficiente e eficaz, no trato das necessidades humanas, não pode olvidar a alegria e da ternura, formas tão nobres quanto imprescindíveis para a nossa aproximação do outro, no relacionamento interpessoal e no serviço assistencial e doutrinário espíritas.
O aplauso é, por isto mesmo, tão oportuno quanto o silêncio em outros momentos, de concentração e atividade mediúnica, ou o aperto de mãos sincero, o abraço, o beijo, o “muito obrigado”, o “Deus lhe pague”, o “até logo”... Nós é que temos, racionalmente, mas sem esquecer o sentimento, escolher dentre tais manifestações e muitas outras, qual a que melhor se adequa ao nosso momento de atividade.
Desejo-lhes, então, muitos aplausos, sinal de que a mensagem – tão carinhosamente preparada num esquete ou audição – foi bem entendida, e preencheu mente, coração e espírito de quem – encarnado ou desencarnado – teve a felicidade de presenciar.
Por: Marcelo Henrique

PROGRAME-SE



segunda-feira, 10 de maio de 2010

MENSAGEM DE BEZERRA DE MENEZES DURANTE O 3º CONGRESSO ESPÍRITA BRASILEIRO

No encerramento do Congresso -- 18 de Abril (dia comemorativo do lançamento de O LIVRO DOS ESPÍRITOS e, por conseguinte, a oficialização do Espiritismo --, cujo tema central foi o centenário de Nascimento do médium Francisco Cândido Xavier (1910-2010), Divaldo Pereira Franco trouxe, através da psicofonia, uma mensagem do Médico dos pobres, que transcrevemos aqui:

Estamos agora em novo período. Estes dias assinalam uma data muito especial, a data da mudança do mundo de provas e expiações para o mundo de regeneração. A grande noite que se abatia sobre a Terra, lentamente, sede lugar ao amanhecer de bênçãos. Retroceder não mais é possível.
Firmastes, Filhas e Filhos da alma, o compromisso com Jesus, antes de mergulhares na indumentária carnal, de servir com abnegação e devotamento. Prometestes que vos serieis fiel, mesmo que vos fosse exigido o sacrifício, alargando-se os horizontes deste amanhecer que viaja para a plenitude do dia. Exultemos juntos, os espíritos desencarnados e vós outros, que transitais pelo mundo de sombras, mas além do júbilo que a todos nos domina, tenhamos em mente as graves responsabilidades que nos exortam a existência no corpo e fora dele.
Deveremos reviver os dias inomináveis da época do martiriológio. Seremos convidados não somente ao aplauso, ao entusiasmo, ao júbilo, mas também ao testemunho. O testemunho silencioso das paisagens internas da alma, o testemunho por amor aqueles que não nos amam, o testemunho de abnegação no sentido de ajudar aqueles que se comprazem gerar dificuldades, tentando inutilmente obstaculizar a marcha do progresso.
Iniciada a grande transição, chegaremos ao clímax, e, na razão direta em que o planeta experimenta as suas mudanças físicas, geológicas, as mudanças morais são inadiáveis.
Que sejamos nós, aqueles Espíritos espíritas, que demonstremos a grandeza do amor de Jesus em nossas vidas. Que outros reclamem, que outros se queixem, que outros verberem. Que nós outros guardemos nos setores da alma o compromisso de amar e amar sempre, trazendo Jesus de volta com toda a pujança daqueles dias que vão longe e que estão tão perto.
Jesus, Filhas e Filhos queridos, espera por nós, que seja o nosso escudo o amor, as nossas ferramentas o amor, e a nossa lida o hino de amor.
São os votos que formulamos os espíritos espíritas aqui presentes, e que me sugeriram representá-los diante de vós. Com muito carinho o servidor humílimo e paternal de sempre.
Bezerra. Muita paz, Filhas e Filhos do coração.

RECITAL DE MÚSICA MEDIÚNICA


PALESTRAS COM PLÍNIO PENTEADO





sábado, 8 de maio de 2010

MÚSICAS PARA O DIA DAS MÃES

Selecionamos aqui algumas canções especiais para o "Dia das Mães":
Começamos com uma linda composição: "MÃE"- The Fevers:



Prosseguimos com José Roberto e a sua "FLOR MAMÃE":


Agora é a vez do inesquecível clássico "MAMÃE, ESTOU TÃO FELIZ", de Agnaldo Timóteo:


Espaço para Roberto Carlos e a "LADY LAURA":


Padre Zezinho canta "MARIA DA MINHA INFÂNCIA":


E o padre continua, agora com "MARIA DE NAZARÉ":


Jose Augusto canta uma nova versão "MÃE":


Uma maravilhosa interpretação do clássico "AVE MARIA", com o grupo Celtic Woman:




E para finalizar, "AVE MARIA ESPÍRITA" com Ery Lopes & João Lucius:





PALESTRA ESPÍRITA PÚBLICA


CHICO É UMA CANÇÃO - PALESTRA MUSICAL

sexta-feira, 7 de maio de 2010

AVE MARIA ESPÍRITA


Por ocasião da proximidade do "Dia das Mães" (domingo próximo), lembremo-nos de uma linda poesia psicografada pelo nosso querido Chico Xavier. que aliás, era muito devoto de Nossa Senhora::

Ave Maria! Senhora
Do amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora
A vossa missão sublime!

Cheia de graça e bondade,
É por vós que conhecemos
A eterna revelação
Da vida em seus dons supremos.

O Senhor sempre é convosco,
Mensageira da ternura,
Providência dos que choram
Nas sombras da desventura.

Bendita sois vós, Rainha!
Estrela da Humanidade,
Rosa mística da fé,
Lírio puro da humildade!

Entre as mulheres sois vós
A Mãe das mães desvalidas,
Nossa porta de esperança,
E Anjo de nossas vidas!

Bendito o fruto imortal
Da vossa missão de luz,
Desde a paz da Manjedoura,
Às dores, além da Cruz.

Assim seja para sempre,
Oh! Divina Soberana,
Refúgio dos que padecem
Nas dores da luta humana.

Ave Maria! Senhora
Do amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora,
A vossa missão sublime

Pelo Espírito de Amaral Ornelas
Psicografia Francisco Cândido Xavier