domingo, 22 de julho de 2012

"Vampirismo", pelo Espírito Irmão Matheus, pela médium Ana Helena Rieck

Nos trabalhos mediúnicos da Casa Maria de Nazaré de Santa Cruz do Sul, RS, dia 19 deste julho, através da jovem médium Ana Helena Rieck, o Espírito Irmão Matheus escreveu uma mensagem cujo teor julgamos interessante para a apreciação de todos e por isso aqui transcrevemos a psicografia.

Oi, Ana, como vai? Tudo bem? 
Bem, acredito que já tenha falado demais de clarividência e companhia, assim vou trocar de tema hoje. Vocês já viram o que é vampirismo, assim não sei o que eu poderia acrescentar, mas como nosso Pai sempre repete seus ensinamentos, também vou falar de novo para vocês.
Vampirismo é uma espécie de continuação de um vício após a desencarnação de um irmão; é disto que surge aquela frase: "o primeiro copo é o homem encarnado que toma, o resto não". Mesmo depois de desencarnado, alguns irmãos continuam levando os vícios que tiveram durante a vida na Terra como encarnados, e por isso sentem a necessidade de continuar alimentando ele. Para isso, eles buscam aqueles irmãos que têm as mesmas tendências, as mesmas fraquezas, e com isso conseguem satisfazer a sua sede por mais.
Claro, nem todas as pessoas entendem isso, elas enfrentam problemas em sua missão enquanto encarnados, e às vezes elas não conseguem lidar com eles e acabam buscando uma forma de fugir de suas responsabilidades e consequências. Mas nada justifica que as pessoas deixem de cumprir suas promessas e provas, acarretando mais e mais dívidas, simplesmente porque o irmão decidiu deixar de lutar por sua vida.
Quando nos deixamos levar por esses vícios, esses vampiros se aproximam de nós, atraídos por nossa energia e pensamento, e quando nós usamos do objeto de nosso desejo, o vampiro "suga" a essência do que digerimos ou usamos, e assim acaba por alimentar o seu vício.
Mas não confundam vampirismo com abstinência. Essa não é a resposta. Lembrem-se, um copo é diferente de uma garrafa. Tomar uma bebida alcoólica de vez em quando, comer um pedaço de bolo, fazer uso de medicamentos, comprar e dar, tudo isso e mais, feito de forma moderada e consciente, não é alimentar o vício de vampiros, assim não é necessário que a pessoa pare totalmente de praticar aquilo que lhe atrai tanto, mas sim fazer isso de forma moderada, consciente, com cuidado, manter a mente limpa e calma, não ter pensamentos negativos nem maus sentimentos que possam vir a atrair esses irmãos.
O vampirismo é um dos grandes problemas que os encarnados e desencarnados enfrentam, pois as principais causas estão nos excessos de drogas e bebidas alcoólicas, causas que hoje, infelizmente, são atitudes comuns e que geralmente levam os irmãos a cometer atos de má fé e conduta somente em busca de manter seu vício.
Mas não há somente esses tipos de vício, há outros, uma unha que é roída, uma gula que é satisfeita, uma compra que não é devida, um manejo de armas que causa problemas e sofrimentos aos irmãos; são tantas as razões que não poderia fala todas. 
Entretanto, não é somente o irmão desencarnado que "arrasta" o encarnado ao seu vício em busca da satisfação, ele pode influenciar, mas quem toma a decisão é o que está encarnado. Ou seja, por mais que existam vampiros a nossa volta, prontos para abordarem alguém, nós é que tomamos a decisão final, que faz diferença no final.
Nós somos capazes de mudar, basta que queiramos, que sejamos fortes e resistentes, tenhamos Deus e Sua luz em nosso coração e resistamos diante das tentações. 
É difícil? 
Pode ser dependendo de cada irmão, os vícios podem ser piores ou não, depende unicamente dos irmãos. Mas isso não justifica que os irmãos desistam de sua luta.
Peço a todos que orem pelos irmãos que são vampiros e por aqueles que os ajudam a alimentar os seus vícios, eles precisam de ajuda. De amor, carinho, confiança, fé e atenção; precisam de alguém que dê um abraço de coração e diga para serem fortes e continuarem lutando; precisam que alguém diga-lhes o qual únicos e especiais são, pois por mais que sejamos iguais perante Deus e perante a lei dos homens, cada um tem a sua característica, sua luz e energia, que faz dele único e especial; precisam que alguém lhe ame sem julgar e sem condenar; precisam de alguém que lhes diga a verdade e seja honesto, diga o que pensa e o que sente, mas que também saiba ouvir e perdoar, que não rejeite nem abande o irmão que de ajuda precisa.
Somos imperfeitos, é verdade, mas isso não é condicionante para não tentarmos ao menos sermos melhores. Nosso Pai nos deu vida e liberdade de ação e pensamento, mas o que nos aproxima Dele é nossa luz, amor e energia, coisas que devem ser parecidas com a Dele para que possamos chegar até ele, ou ao menos vivermos felizes e cheios de alegrias em nosso coração.
Que assim seja, meus irmãos, espero que tenham gostado do que passei hoje, sinto muito se meu pensamento e entendimento foi precipitado, e logo já peço perdão. Que todos fiquemos na paz de Deus e que possamos cumprir com nossa missão da melhor forma possível.

VAMPIRISMO



Para saber mais sobre esse tema, vide a Bibliossíntese Vampirismo.


2 comentários:

  1. Não entendi o que há de errado em Roer uma unha...

    ResponderExcluir
  2. Não é o fato de roer uma unha, isto é apenas uma simbologia, o fato é que nos deixamos ser dominados nos mais simples vícios, que nós deixamos passar desapercebidos.

    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir