segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

"The Scole Experiment": mais uma surpreendente série de fenomenologia espiritual


Entre os anos 1993 e 1998, um grupo de médiuns britânicos juntaram-se para fazer experimentos paranormais e, através dos fenômenos por eles provocados, pesquisar acerca da vida após a morte e de dimensões espirituais. Em dado momento dessas reuniões regulares, essa fenomenologia chamou a atenção de grupos de cientistas e da imprensa, criando assim toda uma publicidade daquele movimento de estudos, que ficou conhecido como The Scole Experiment — "O Experimento de Scole".

Scole é um vilarejo da região leste da Inglaterra. Foi lá que o casal Sandra e Robin Foy se uniu ao casal Diana e Alan Bennett para a fundação do Scole Group, cujo intento elementar era realizar experimentações paranormais, totalmente desvinculados de qualquer instituição religiosa, a parte da fé da cada qual, atuando sob uma orientação científica, sem sectarismos.


A regularidade e a seriedade que o grupo apresentou fizeram com que os experimentos logo dessem resultados consistentes. E os experimentos são mesmos extraordinários: telecinesia, impressão direta de imagens fotográficas, materialização de luzes e objetos sólidos, psicofonia etc.

Clique aqui e visite o site oficial do grupo Scole Experiment (em inglês).

Confira os desdobramentos desse trabalho através do videodocumentário que compartilhamos a seguir, observando que, na primeira parte, foi adicionada uma série de depoimentos de ativistas do movimento espírita no Brasil (Alexandre Caldini, Geraldo Lemos, Haroldo Dutra Dias, Luis Sérgio Marota), como introdução ao documentário The Afterlife Investigations (em inglês, com legenda em português).

O Scole Group foi investigado por várias equipes científicas, incluindo a Society for Psychical Research, a mesma Sociedade de Pesquisas Psíquicas fundada em 1881 para investigar os fenômenos mediúnicos que deram origem à Doutrina Espírita, Sociedade essa que foi presidida por memoráveis homens da ciência, como Frederic Myers, William James Sir William Crookes — que, estudando a mediunidade como a de Eusápia Palladino, Linda Gazzera, Daniel Dunglas Home e Florence Cook, não hesitaram em atestar a veracidade da manifestação espiritual.


David Fontana, psicólogo e professor da Cardiff University, na Grã-Bretanha, então presidente da Society Psychical Research, ao lado de outros cientistas e pesquisadores paranormais, como Arthur ellison e Montangne Keen é quem toma a frente na investigação da Scole Experiment. Eles se declaram abertos a aceitar aquela fenomenologia, pelas garantias de não-fraude durante as sessões inspecionadas.


Como contraponto, o documentário traz também a opinião céptica do americano Brian Dunning, escritor de obras de declarado teor materialista. Este, por sua vez, denuncia que os experimentos em Scole não seguiram os padrões mais rigorosos de pesquisas científicas e, por isso, critica a fácil aceitação de seus experimentos.

Os resultados e demais detalhes do Scole Experiment estão bem documentados no vídeo a seguir. Assista-o e tire suas conclusões:



Então? O que você acha da fenomenologia do Scole Experiment?

Compartilhe aqui sua opinião e divulgue esta matéria!

Um comentário:

  1. A verdade chega na hora certa. Parabéns a esse grupo inglês.

    ResponderExcluir