terça-feira, 14 de agosto de 2018

A Livraria Espírita e a Livraria Leymarie: esclarecimentos sobre confusão histórica feita por um vídeo na net


Circula pela internet um vídeo postado por uma blogueira brasileira que faz certa campanha para a transformação de uma determinada livraria em Paris — a Livraria Leymarie (Librairie Leymarie) — em um "museu espírita". A ideia não é nada má, mas apresenta alguns empecilhos práticos, conforme nos apresentam algumas fontes, e é interessante tratarmos do caso para esclarecer algumas informações equivocadas que o vídeo exibe.

Vejamos o referido vídeo:


Como se pode ver, o vídeo foi gravado em frente ao dito estabelecimento, que fica na Rua Saint-Jacques, número 42, bem próximo da famosa universidade Sorbonne, na região central de Paris, hoje aos cuidados de Philipe Leymarie, da linhagem de Pierre-Gaëtan Leymarie, aquele a quem foi confiada a direção dos trabalhos da continuação das obras de Allan Kardec, com o aval de Madame Kardec (saiba mais sobre Leymarie clicando aqui).


Pierre-Gaëtan Leymarie
No entanto, a autoria do vídeo, Mari do canal Mari_Tipsparis, por melhor intenção que tenha, acaba fomentando com esse trabalho uma série de equívocos históricos. Para começar, foi não foi nesse endereço que Kardec conheceu os fenômenos das Mesas Girantes e tampouco foi ali que ele começou seus trabalhos acerca da Doutrina Espírita. O estabelecimento deste endereço não pode ser considerada a primeira livraria espírita do mundo, nem tampouco a sequência da legítima livraria pioneira, que foi a Livraria Espírita, esta sim, fundada por Allan Kardec, instalada originalmente na Rua de Lille n° 7, na mesma rua do famoso Museu d'Orsay, embora, o codificador espírita não a tenha visto em funcionamento pois foi justamente nas vésperas da inauguração, marcada para 1 de abril de 1869, que Kardec desencarnou, nas escadarias do seu endereço na Rua Saint'Anne n° 59, enquanto carregava as caixas de livros e demais materiais que seriam transportados para a sede da tão sonhada livraria, enquanto a mudança de sua residência com Amélie estava em curso para a Vila de Ségur, perto de onde está a Torre Eiffel e o Museu do Exército (Musée de l'Armée).

É válido também dizer que a Livraria Espírita, sob o comando de Pierre-Gaëtan Leymarie, mudou de endereço. Em 1878, ela foi transferida para o número 5 da rua Nueve-des-Petits-Champs, logo atrás do Palays Royal (à época, um espécie de shopping center, onde ficava o escritório da editora Dentu e sua livraria, local histórico de lançamento de O Livro dos Espíritos). Para saber mais sobre esses eventos históricos, recomendamos a sua visita à página do guia Roteiro Histórico Espírita em Paris, assim como o vídeo deste guia (segue a tela de vídeo abaixo) e também o extraordinário livro do Dr. Canuto Abreu O Livro dos Espíritos e a sua Tradição Histórica e Lendária. Aliás, convém ainda conhecer a biografia deste importante pesquisador espírita, cujo verbete está disponível na Enciclopédia Espírita Online.



E para compreender mais profundamente o desenrolar dos acontecimentos daquela época, vale a pena conferir o filme-documentário Espiritismo à Francesa: a derrocada do Movimento Espírita na França pós-Kardec.



O fato é que Leymarie apossou-se de todos os bens de Allan Kardec, da viúva do codificador e das estruturas doutrinárias do Espiritismo kardecista, especialmente falando da Sociedade Anônima (a entidade estabelecida para gerir o legado de Kardec), dos direitos autorais das obras básicas da codificação, da Revista Espírita, da Livraria Espírita e do posto de líder doutrinário; atentou moralmente contra aqueles que tentaram reconduzir o Espiritismo aos moldes originais — por exemplo, contra Berthe Fropo, Gabriel Delanne, Léon Denis e Henri Sausse, que chegaram até a formar uma nova sociedade espírita: a União Espírita Francesa (ver em Muita Luz: Beaucoup de Lumière— e corrompeu a Terceira Revelação mesclando-a a correntes místicas e religiosistas.

Além disso  e talvez esse tenha sido o pior feito do velho Leymarie — ele desfez-se da maior parte do acervo que Kardec guardava e reservava para compor o arquivo doutrinário espírita para servir de banco de dados de documentos como mensagens e espirituais, desenhos mediúnicos, cartas e anotações do codificador acerca dos bastidores do movimento espírita original. Em Muita Luz (Beaucoup de Lumière), Berthe Fropo denuncia isto e compara ao fatídico episódio Auto de Fé de Barcelona (saiba mais aqui). Leymarie guardou para si — como bem pessoal dele e de sua família — apenas o que julgava útil (que bem podemos ler "vendável"). Após seu trespasse, a condução do espiritismo leymariense foi herdado por... sua esposa, Marina Leymarie, que posteriormente legou ao seu filho, Paul Leymarie.

Então, de geração em geração, o restante do espólio de Kardec chegou aos dias de hoje e encontra-se administrado por Philippe Leymarie, gerente da Livraria Leymarie  que, portanto, não tem a assinatura de Kardec. Aliás, há que se destacar, pelo testemunho de quem lá esteve e por diversas mídias, é um comércio e repositório de obras e práticas místicas e esotéricas, distante dos postulados espíritas originais. Pelo que apuramos, inclusive, no andar logo acima do estabelecimento, salas se destinam a consultas de leitura da sorte, o que fica bem demonstrado pela placa constante até os dias atuais, cuja inscrição atesta, em francês, que, porém, dispensa que façamos tradução: "occultisme Leymarie".



A exemplo de outros colaboradores nossos, tentamos contato com Philippe Leymarie acerca do acervo espírita de que ele dispõe. Seu perfil no facebook é público e pode ser acessado por aqui.




Entretanto, a disposição que encontramos nele é puro e simplesmente a de um negociador de relíquias, cujo cartão de visita é bem taxativo: "Je ne serai pas bon marché", ou seja, numa tradução livre: "Meu preço não é barato", disse ele anunciando a posse de várias obras históricas e manuscritos originais — segundo ele, e não temos razão para duvidar disso, embora não possamos garanti-lo  do próprio codificador espírita.

De qualquer modo, o saldo positivo — bastante positivo, por sinal — foi que ele nos ofereceu imagens de algumas dessas "relíquias", inclusive imagens de fotografias inéditas de Kardec, que temos a satisfação de compartilhar com todos aqui:







Fica difícil então imaginar a transformação de uma livraria, cujo propósito é essencialmente comercial, com a ideia de um museu espírita, que para nós deve ter primordialmente uma motivação muito mais sublime. Por sorte a nossa, parte restante do acervo de Allan Kardec foi recuperado por Canuto Abreu e, conforme já anunciamos aqui, está agora aos cuidados da FEAL - Fundação Casas André Luiz com a promessa de que todo ele será brevemente disponibilizado integralmente ao movimento espírita (saiba mais clicando aqui).


Amostra do acervo do Dr. Canuto Abreu sob os cuidados da FEAL

Para completar, sem pretender menosprezar o trabalho da blogueira, tampouco pondo em dúvida a sua boa intenção para com o Espiritismo, somos forçados a lamentar o desconhecimento dela acerca da historiografia espírita. É bem verdade que a grande maioria dos espíritas "assumidos" desconhece mesmo a História do Espiritismo 
— muitos desconhecem até mesmo os fundamentos doutrinários —, mas, pelo fato de ela tornar esse trabalho público, é natural que dela cobremos um melhor preparo para montar o conteúdo de suas campanhas. Ainda mais porque, nesse mesmo vídeo, ela se declara espírita, inclusive trabalhadora espírita de longa data, com bastante experiência em trabalhos doutrinárias (12 anos de passista e doutrinadora de sessão de desobsessão).

Em tempos de fake news e popularização de "informações desinformadas", é bom nos prevenirmos com o que se diz por aí e se posta na internet. A Doutrina Espírita há muito tem sofrido com os preconceitos e falsas atribuições que lhe são dados pelos desinformados e pelos adversários deliberados. Aos espíritas sinceros, cabe o dever de zelar pela justeza das informações.

Pesquisa: "Um Kardec muito humano e ativo" revelações do acervo histórico espírita do Dr. Canuto Abreu


A frente do projeto de catalogação do acervo histórico espírita de Canuto Abreu para uma divulgação geral (veja aqui), Paulo Henrique de Figueiredo compartilha em palestra uma das revelações encontradas nas entrelinhas do material que está sendo trabalhado: uma faceta muito humana e bem ativa de Allan Kardec, conforme se deduz de uma comunicação da autoria do próprio codificador espírita.

Veja o trecho da palestra narrando o caso:


Como é bom e enriquecedor conhecermos cada vez mais a figura pessoal de Kardec, não?

Só por essa pequena amostra, podemos mesmo ficar ainda mais entusiasmados com o que todo o acervo de Canuto Abreu tem para nos oferecer de detalhes e novidades dos bastidores da codificação espírita através dos manuscritos de Allan Kardec.

Continuaremos acompanhando e divulgado esse trabalho. Acompanhe conosco!

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Artigo "O espírita e a política" por Rogério Miguez


Compartilhamos com todos um interessante artigo da autoria de nosso confrade e colaborador Rogério Miguez, sobre um assunto de extrema urgência e ainda mais oportuno para todos nós, em vista do início de mais uma campanha eleitoral para os mais altos cargos públicos de nossa nação. Confiram e reflitam:


O espírita e a política

É interessante observar o comportamento da humanidade como um todo, revisitando regularmente antigas questões de interesse para mais uma vez rediscuti-las. Tudo indica ser este o processo de evolução.

Neste particular texto, a nossa atenção se volta para a parcela da humanidade espírita, embora ainda pequena, também não foge à regra. Como dito, de tempos em tempos, temas importantes, não há qualquer dúvida, ressurgem e mais uma vez iniciam debates e troca de argumentações no âmago dos seguidores de Allan Kardec.

Referimo-nos especificamente à posição do espírita em relação à sua possível atuação na sociedade como integrante nas estruturas político-partidárias. O renascimento do assunto, não há sombra de dúvida, se deve ao quadro pretensamente caótico enfrentado atualmente pela nação. Pela observação da experiência de cada um, parece ser um dos momentos mais agudos enfrentados não só pelos espíritas, bem como por todos nós brasileiros.

Aparentemente ninguém se entende e o suposto caos se apresenta insinuante: um prende daqui, outro solta dali; os escândalos se sucedem em todas as áreas – saúde, educação, segurança...; noticiário espetacular aponta diariamente corrupção nos três níveis da administração - municipal, estadual e federal, e mais, nas três esferas de poder - Judiciário, Executivo e Legislativo; personalidades insuspeitas do meio público acabam por aparecer nas manchetes dos principais meios de divulgação arroladas em situações indecorosas e imorais; parentes destas “figuras notórias” também insistem em surgir, aqui e acolá, envolvidos em desvios de toda a ordem; casos dos mais escabrosos estouram a todo o momento envolvendo desvios inimagináveis de recursos públicos, desta forma, nesta aparente desordem, como acontecerá a tão desejada e esperada Ordem e Progresso, inscrição luminosa a tremular em nosso Pavilhão Nacional?

O momento é convidativo ao reinício dos debates sobre a ausência quase absoluta de políticos espíritas eleitos pelo povo, os quais, segundo alguns, deveriam ocupar variadas posições-chave nos diversos setores da sociedade brasileira, como já fazem muitos seguidores de outras correntes religiosas. Estes últimos já formando bancadas e grupos, verdadeiras sociedades, decidindo sobre questões de interesse nacional, coletivo, entretanto, sob ponto de vista particularíssimo de suas próprias crenças.

É surpreendente o retorno de tal discussão no seio espírita.

Alguns, mais afoitos, relembram com insistência três personagens ímpares da história espírita: Bezerra de Menezes, Eurípedes Barsanulfo e Cairbar Schutel, entre outros, como exemplos de que o espírita pode e, principalmente, tem o dever de se alinhar de mãos dadas e lançar candidaturas políticas, antes do esgotamento das datas para registro dos candidatos, todos em uníssono prometendo de “pés juntos” usar as tribunas e cargos obtidos para acertar os rumos do país.

Quanta ilusão!

Para relembrar, ou mesmo informar aos mais atirados, os três espíritas anteriormente citados, antes de reencarnarem, já haviam construído uma fortaleza moral e ética, em vidas passadas, diminuindo sobremaneira a chance de se corromperem nos cargos ocupados provisoriamente. Acreditamos mesmo, poderem estes três baluartes ocupar qualquer posto sem se deixarem levar pelos apelos mundanos e indecorosos, teimando em surgir no meio político brasileiro. Adicionalmente, os dois primeiros deixaram os cargos políticos ao se tornarem espíritas, e, no caso de Cairbar, já não era mais Intendente de Matão há bom tempo (cargo equivalente ao de Prefeito) quando abandonou o catolicismo para adotar o Espiritismo, no ano de 1904.

Assim sendo, os três gigantes já mencionados não devem ser citados de modo algum, porquanto eles não servem como exemplos, considerando terem percebido conscientemente ou instintivamente não ser possível conciliar uma vida integralmente dedicada ao Espiritismo, consequentemente ao próximo, com atribuições político-partidárias.

Para aquele desejoso em se inspirar em algum político espírita para justificar a sua aspiração em servir nos quadros administrativos nacionais ou regionais, sugerimos destacar José de Freitas Nobre1, espírita detentor de alguns postos políticos durante bom tempo de sua existência, porém, sendo orientado sobre a sua atuação política por nada mais nada menos do que Emmanuel e Bezerra de Menezes.

Aliás, estamos usando impropriamente o vocábulo política, pois o que fazem atualmente os mandatários da nação, quase todos os detentores temporários do poder, não representa de fato condutas políticas, mas atitudes características da politicalha ou politicagem, tão bem definida pelo inesquecível Águia de Haia, Rui Barbosa, que deve estar também à frente dos Espíritos atentos ao que sucede à nação.

Dificílimo é adentrar o lamaçal sem se sujar, mas somos livres.

Antes de concluirmos, cabem algumas importantes lembranças aos postulantes2: a data-limite para filiação partidária e registro de partidos ocorreu em 7 de abril e, em 15 de agosto, se dará a data-limite para que partidos e coligações apresentem o requerimento de registro de candidatos junto à Justiça Eleitoral. Desta forma, só os espíritas hoje filiados a algum partido poderão se lançar candidatos, caso evidentemente convençam seus respectivos partidos de sua importância para o futuro do país.

Sendo assim, todos aqueles, se sentindo à vontade, convictos de poder navegar com segurança nos mares tempestuosos da politicalha brasileira, bem característica do momento, estão certamente convidados a dar um passo à frente, pleiteando suas candidaturas, pois a Doutrina nada proíbe, apenas esclarece. Além disto, aqueles que se autoavaliaram e concluíram estar no mesmo ou similar patamar moral e ético dos três grandes gigantes mencionados estão também conclamados a dar um passo à frente.

Ocorrendo esta decisão, seria de bom alvitre não realizar campanha política dentro da Casa espírita; tampouco preparar panfletos destacando suas opções de vida pelo Espiritismo vinculando a obtenção de votos à crença comum; muito menos solicitar votos dos espíritas pelos meios midiáticos disponíveis; jamais desfilar pelos salões da instituição espírita usando bótons e adesivos colados às vestimentas indicando a sua predileção partidária, isto tudo em respeito à própria Doutrina e por Allan Kardec.

É oportuno igualmente esclarecer sobre as expressões em itálico empregadas ao longo do texto, a saber: pretensamente caótico, suposto caos, aparente desordem, este emprego não se deveu ao acaso, porquanto foram usadas para enfatizar que tudo está sob controle e foi previsto por Allan Kardec. Para se convencer desta afirmação, basta ler ou reler detidamente o último capítulo de A Gênese – São chegados os tempos, e parafraseando o nosso inolvidável Mestre dos mestres, cuja vida impoluta jamais abrigou qualquer nuance de partidarismo, propomos: os que detiverem entendimento de entender, entenderão.

A cada qual pelas suas obras.

Rogério Miguez

Referências:
1 Disponível em: FEB Paraná Acesso em 06/07/2018.
2 Disponível em: eleições Acesso em 06/07/2018.

sábado, 11 de agosto de 2018

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Videopalestra espírita "As Três Revelações: a Nova Era e o Espiritismo" com Maristela Santos


O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMOVideopalestra espírita "As Três Revelações: a Nova Era e o Espiritismo" com Maristela Santos, realizada no Centro Espírita Léon Denis - CELD, no Rio de Janeiro.

Trata-se de um estudo do Capitulo 1 "Não Vim Destruir a Lei: A Nova Era", itens 9 a 11 do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec.

Maristela Santos desenvolve sua exposição fazendo uma boa comparação entre os valores essenciais e práticos da lei mosaica (de Moisés para o povo hebreus, nos primórdios do monoteísmo judaico), da lei cristã (trazida por Jesus)  os novos ensinamentos da Doutrina Espírita, a terceira revelação, como precursora para a Nova Era da Humanidade.

Confira a palestra e reflita conosco sobre suas ideias:


Gostou? Deixe sua opinião e compartilhe!

Eventos Espíritas: programe-se e participe!


Veja a programação completa na página Eventos Espíritas.

Cadastrar eventos da sua casa espírita; clique aqui.





quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Enciclopédia Espírita Online: lançamento do verbete "A Gênese"


Também em face do aniversário jubilar dos 150 anos de lançamento de A Gênese, de Allan Kardec, a Enciclopédia Espírita Online tem a satisfação de anunciar a inclusão de seu mais novo verbete, exatamente o do título dessa importante obra para o desenvolvimento do Espiritismo.

Confira a síntese do verbete:

A Gênese - Os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo, ou simplesmente A Gênese, tradução do original em francês La Genèse - Les Miracles et les Predictions selon le Spiritisme, de autoria de Allan Kardec, é o quinto livro da coleção conhecida como obras básicas da codificação espírita. Sua primeira edição foi lançada em 6 de janeiro de 1868, em Paris, França. É a obra pela qual o codificador do Espiritismo então desenvolve com mais profundidade o aspecto científico dos conceitos doutrinários da Revelação Espírita, abordando, entre outros temas, a essência de Deus, a Criação do Universo e seu processo de expansão, a origem dos Espíritos e a comparação com a teoria bíblica da gênese, o caráter dos milagres, a natureza das profecias e as predições para o futuro da humanidade.

Há pouco, publicamos aqui o lançamento de uma nova tradução deste livro, em edição especial para a série "Numa Linguagem Simplificada", editada por Louis Neilmoris (veja aqui), disponibilizada gratuitamente na nossa Sala de Leitura, e tendo como base o conteúdo da obra original de Allan Kardec, na sua 1ª edição em francês La Genése - les Miracles et les Predictions selon le Spiritisme. Agora, com o novo verbete na Enciclopédia, os estudiosos espíritas poderão conhecer melhor o contexto histórico do seu lançamento, além de conferir uma síntese da polêmica no que diz respeito às alterações feitas a partir da 5ª edição que, conforme certas evidências, foram indevidamente efetivadas por terceiros, depois da desencarnação do seu autor — que, neste caso, seria o único legitimamente capaz de promover qualquer alteração do seu conteúdo.

Então, além de ler e estudar a obra em si, que é uma experiência de riquíssima aquisição intelectual, também é muito importante conhecer as condições em que ela se desenvolveu, seus objetivos essenciais, a repercussão de sua publicação, etc. Tudo isso está bem explicada no verbete que aqui anunciamos, que ainda traz uma pequena descrição da estrutura da obra e os temas capitais tratados em cada capítulo.

Não deixe de conferir o novo verbete!


Clique aqui e acesse agora mesmo o verbete "A Gênese" na Enciclopédia Espírita Online.






quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Dia dos Pais e divina missão da Paternidade


Já em sintonia com a data comemorativa do Dia dos Pais para o próximo domingo, oferecemos aqui uma pequena reflexão no tocante a essa ocasião.

Deus, em sua infinita sabedoria, justiça e bondade, na trajetória evolutiva dos seus filhos amados, convoca-os a missões sublimes nas cercanias terrenas. E dentre as quais, uma é demasiada passível de louvor: a paternidade.

Feliz daquele Espírito que, abençoado com a condição de pai, fortifica-se na fé e na bonomia para bem cumprir essa tarefa tão árdua quanto tem sido em nosso cotidiano, provendo seus filhinhos -- que lhe são concedidos por empréstimo do Criador -- com o pão material e o ensinamento moral. Grandes serão as suas recompensas, com a graça do Poderoso.

Assim o constatamos conforme o testemunho da Codificação Espírita:

A paternidade pode ser considerada como missão?
“Sem dúvidas que é uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que o homem pensa, a sua responsabilidade quanto ao futuro. Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que estes o dirijam pela senda do bem, e lhes facilitou a tarefa dando àquele uma organização fraca e delicada, que o torna propício a todas as impressões. No entanto, há muitos que mais cuidam de aprumar as árvores do seu jardim e de fazê-las dar bons frutos em abundância, do que de formar o caráter de seu filho. Se este vier a falir por culpa deles, suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem.”

Os pais são responsáveis pelo transviamento de um filho que envereda pelo caminho do mal, apesar dos cuidados que lhe dispensaram?
“Não; porém, quanto piores forem as disposições do filho, tanto mais pesada é a tarefa e tanto maior o mérito dos pais, se conseguirem desviá-lo do mau caminho.”
(O Livro dos Espíritos, Allan Kardec - questões 582 e 583)

Que tenhamos todos um excelente domingo comemorativo ao "Dia dos Pais".

E ao nosso Pai Celestial, todo o nosso amor.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Nova versão de *A Gênese* de Allan Kardec


Acabamos de receber e já a disponibilizamos na nossa Sala de Leitura a nova tradução de A Gênese, de Allan Kardec, na versão especial "Numa Linguagem Simplificada", adaptada por Louis Neilmoris. Esta edição foi traduzida a partir da obra original (em francês, La Genèse, les Miracles et les Prédictions selon le Spiritisme), na sua 1ª edição, lançada em 6 de janeiro de 1868, portanto, há 150 anos.


Baixe a nova versão de A Gênese gratuitamente clicando aqui. Disponível nos formatos PDF e EPUB.

A  propósito, neste ano jubilar para esta obra básica do Espiritismo, quando celebramos um século e meio das luzes que este trabalho nos legou, temos acompanhado o movimento revolucionário em torno do resgate do conteúdo original de A Gênese, como reportamos em ocasiões como a seguinte: "Seminário "A Gênese: 150 anos - o resgate histórico" com Simoni Privato Goidanich".


Noticiamos aqui também o lançamento da edição impressa pela FEAL - a Fundação Espírita André Luiz, em 26 de maio, em cuja cerimônia esteve presente a pesquisadora Simoni Privato Goidanich, a autora da obra O Legado de Allan Kardec, que trouxe a documentação esclarecedora sobre a confusão no entorno das adulterações que A Gênese de Kardec sofreu a partir da 5º edição, lançada ilegalmente três anos depois da desencarnação do codificador espírita.


Agora, nosso Portal já dispõe de uma tradução cuja fonte é exatamente a obra original de Kardec, que foi preservada até a sua 4ª edição. Com isso, podemos oferecer a todos, para livre download, a obra autêntica, adaptada numa linguagem simplificada, ao alcance de todos os leitores, sem, no entanto, distorcer o seu significado essencial.

Baixe agora mesmo a nova versão de A Gênese gratuitamente clicando aqui.
Disponível nos formatos PDF e EPUB.

E não deixe de compartilhar essa novidade!

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Resultado da Pesquisa Nacional Espírita 2018


Acabou de sair o apurado final da Pesquisa Nacional Espírita, edição deste ano de 2018. Foram recebidas, no total, 3.926 respostas, cobrindo 27 Estados da nossa Federação e alcançando 735 cidades, incluindo a participação de dirigentes, trabalhadores de casas espíritas e seus frequentadores. O formulário da pesquisa ficou aberto para preenchimento durante todo o mês de junho deste ano e agora as estatísticas estão ao alcance de todos.

Se você não está familiarizado com esse trabalho de Ivan Franzolim, dê uma olhada na chamada que fizemos para a pesquisa clicando aquiConfira também os detalhes pelo vídeo a seguir:


Os dados finais da última edição da pesquisa foram publicados oficialmente no Blog Ideias e Anotações, de responsabilidade do próprio autor da pesquisa. O link direto para o arquivo em PDF com as estatísticas é este aqui.

A sugestão do seu idealizador é a de que esses dados sejam analisados especialmente pelos dirigentes e trabalhadores de instituições espíritas a fim de que os dados ajudem a melhor compreender a demanda de espíritas e assim ajude a promover melhor o Espiritismo.

Nós vamos fazer a nossa análise e futuramente voltaremos a falar desse apurado atual.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Videopalestra "A disciplina do pensamento e a Reforma do Caráter" com a Dra. Anete Guimarães


Compartilhamos com todos o vídeo com a palestra "A disciplina do pensamento e a Reforma do Caráter", proferida pela Dra. Anete Guimarães, realizada durante o 3° Fórum Espírita Léon Denis.

A Dra. Anete Guimarães é espírita de berço e ganhou grande notoriedade no Movimento Espírita nestes últimos anos pela sua sagacidade em expor a justeza dos conceitos espíritas em sintonia com as últimas tendências científicas e a lógica da Filosofia.

Nesta palestra, ela explora, a competência de sempre, a essência das formas de os seres humanos expressarem seus pensamentos e o caráter embutido — e muitas vezes inconscientes — nessas formas de expressão, com um dinamismo que nos leva a refletir sobre o nosso verdadeiro caráter e a necessidade de reformarmos as nossas más tendências e buscarmos as virtudes.

Confira e reflita conosco:


Gostou?
Esperamos que sim e aproveite para compartilhar.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Calendário Histórico Espírita: Dia da Caridade no Brasil


Neste 19 de julho, comemora-se o Dia da Caridade no Brasil, ou simplesmente Dia Nacional da Caridade, conforme o projeto de Lei nº 5.063, de 4 de julho de 1966 (veja aqui), assinada pelo então Presidente da República Castello Branco, cujas medidas práticas instruídas por essa regulamentação estabelece que os Ministérios de Saúde, Educação e Cultura devam organizar e promover o calendário de comemorações desta data.

Não é uma data comemorativa nada conhecida no nosso país, especialmente se compararmos com os badalados Dias dos Namorados, Dias das Mães, Dia dos Pais, etc,. muito em função, é claro, do apela comercial promovido pelas mídias. Como o intuito original do Dia da Caridade é justamente promover o oposto, ou seja, o desinteresse material e atentar para o lado virtuoso das relações humanas, não cabe comercialização numa data comemorativa como essa. Aliás, os próprios artigos que compõem a referida lei define que a finalidade da data é exatamente "difundir e incentivar a prática da solidariedade e do bom entendimento entre os homens" (Artigo 1°), motivando "visitas a hospitais, casas de misericórdias, asilos, orfanatos, creches e presídios, e a todos os demais lugares onde a pobreza e a dor mais se façam sentir" (Artigo 2°).

Internacionalmente, a data equivalente é 5 de setembro, conforme resolução da ONU - Organização das Nações Unidas (veja aqui) promulgada em 2012, sendo essa data uma homenagem ao aniversário do falecimento de Madre Tereza de Calcutá, desencarnada em 5 de setembro de 1997.


Espiritismo e Caridade

Caridade tem tudo a ver com a Doutrina EspíritaSegundo o Espiritismo, a caridade é o exercício do verdadeiro amor (puro, incondicional, sem interesse de qualquer recompensa) e ao mesmo tempo um dever de cada indivíduo para com os demais, em todas as circunstâncias. É, portanto, uma ação (a prática do sentimento de amor) efetiva, que indo além da interpretação que comumente se lhe atribui, na qual seu escopo se restringe à benevolência material ou ao sentimento de piedade em favor de alguém que esteja em situação de inferioridade em relação àquele que o pratica. A teorização basilar da interpretação espírita acerca da caridade parte do estudo da Lei de Justiça, amor e caridade em O Livro dos Espíritos e do capítulo "Fora da Caridade não há salvação" em O Evangelho segundo o Espiritismo, ambos de autoria de Allan Kardec. Nesse contexto, a caridade se configura como a síntese do todo o Evangelho de Jesus e a mais sublime virtude moral que conduz o Espírito à perfeição espiritual.

Ver o verbete "Caridade" na Enciclopédia Espírita Online.

Inclusive, esta virtude compõe o convencionado slogan do Espiritismo: "Fora da Caridade não há Salvação".

Ver verbete "Fora da Caridade não há Salvação" na Enciclopédia Espírita Online.

E quanto a você? Qual a sua proposta de caridade para hoje?

Campanha pela Vida e contra o aborto


No começo deste mês de julho, anunciamos aqui uma enquete que o Congresso Nacional havia aberto para consultar a opinião pública sobre uma sugestão de lei para legalização do aborto até 12 meses de gestação e, além disso, o custeio da operação através do SUS - Sistema Único de Saúde (veja aqui)Voltamos a tocar nesse assunto em razão especialmente de duas coisas, a saber:

Primeiro porque, como informamos naquela postagem, o placar parcial era favorável à sugestão abortiva e, felizmente, pela consulta que fizemos no fechamento deste post, o resultado havia se invertido, estando agora mostrando que pouco mais de 341 mil pessoas estão do lado da vida e rejeitam tal proposta, contra 338 mil, que votaram por apoiar a causa abortiva.

Resultado parcial em 4 de julho, 2018
Resultado parcial em 18 de julho, 2018
Segundo, e exatamente em função de uma perspectiva positiva, colocamos o assunto em evidência na intenção de promover ainda mais a nossa campanha para que as pessoas acessem o link da enquete e votem, conscientemente, contra essa sugestão de lei que, pelas razões já fartamente expostas em nosso Portal, consideramos absurda.

Certamente aquela nossa postagem influenciou várias pessoas a defenderem a vida. Por isso, reforçamos o convite para quem não votou, acessar o link (clique aqui para votar) e manifeste sua opinião contra esse infanticídio. E, também, quem já votou, faça mais: compartilhe essa postagem e incentive a todos os familiares e amigos a tomarem nota desse assunto inadiável e estão então, plenamente convencidos da gravidade de nossa sociedade patrocinar o assassinato de bebês, possam engrossar o placar do NÃO a esse projeto.

Acrescentamos que, segundo os ensinamentos dos benfeitores espirituais na codificação espírita, o aborto só é lícito exclusivamente nos casos em que a gestante esteja em evidente risco de vida, pois, nesse caso, “É preferível que se sacrifique o ser que ainda não existe a sacrificar o que já existe" (O Livro dos Espíritos, Allan Kardec - questão 359). Para todos os demais casos, o Espiritismo nos diz que o aborto é um crime:
A provocação do aborto é um crime, em qualquer período da gestação?
“Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando.”

O Livro dos Espíritos, Allan Kardec - questão 358
Uma consequência natural para o Espírito que foi impedido de reencarnar pelo crime do aborto é a necessidade de recomeçar o processo preparatório para reencarnação — processo esse custoso e por vezes traumático para o ser espiritual que teve uma existência invalidade e todos os seus planos frustrados por uma ação indevida de terceiros. É como um aluno que se faz todos os estudos preparatórios e passa no vestibular, mas, no momento de ingressar na faculdade, teve sua matrícula negada de forma arbitrária.


O que a nossa sociedade deve fazer é examinar os motivos comuns que levam algumas pessoas a procurar o recurso abortivo e, na medida do possível, sanar tais adversidades. Para começar, deveríamos estabelecer uma melhor educação para as potências sexuais, já que na grande maioria dos casos de intenção de aborto a causa principal é uma "gravidez indesejada", quase sempre fruto de desleixo moral mesmo.

O caso mais delicado parece ser o de gravidez quando a mãe é vítima de estupro. Os ativistas do aborto costumam usar muito esse exemplo para validar todos os casos de aborto, alegando que o prejuízo psicológico para a mulher é insuportável e o ato brutal ficaria diretamente personificado no filho. De fato, não é nada confortante uma mulher gerar um filho a partir de uma violência sexual. Contudo, devemos ter em mente a sabedoria e a justiça divina. Se tal ato foi permitido por Deus, nela há de haver uma justificativa. Aí pode estar uma grande prova evolutiva a que o Espírito da mãe e o do filho se candidataram a cumprir em face de seu progresso espiritual, prova essa que também consiste em uma missão de dignidade e superação; senão, pode ser até mesmo uma expiação, ou seja, uma lição — cruel, mas necessária — para que se compreenda o valor da vida e da integridade alheia; quem garante que as vítimas de estupro hoje não sejam os algozes de ontem? O que normalmente se diz contra um agressor que violenta sexualmente a mulher? Não se deseja normalmente que "alguém faça a mesma coisa com ele"? Ora, Deus não age nesse intuito, vingando na conta do "olho por olho, dente por dente",mas oferece a todos os meios de se conscientizarem quanto às virtudes; porém, aquele que não aprende pelo bom ensinamento, fica suscetível de sofrer na própria carne para, através do sofrimento, sensibilizar-se com a dor daqueles a quem faz sofrer.

Em vista de tudo isso, temos que ter em suma que todos os esforços que se faça para valorizar a vida e as virtudes elevam o ser. As dificuldades dessa vida não passam de exercícios de aprimoramento e um teste para nos promover espiritualmente. Gerar um filho, cuidar dele, assim como cuidar da mãe (por exemplo, no caso do pai) e enfrentar todas as vicissitudes da gravidez e da maternidade/paternidade é uma das tarefas mais sublimes que temos nesse mundo, pois assim oportunizamos que nossos irmãos espirituais venham e caminhem na senda do seu progresso. Quanto melhor cumprirmos essa sublime missão, mais sucesso teremos no nosso regresso à pátria espiritual.

"A felicidade não é deste mundo", já lemos em O Evangelho segundo o Espiritismo (cap. V, item 20). Portanto, não depositemos nossos valores nas coisas materiais e status que ocupamos nesta terra de expiação e de provas; não condicionemos nossa felicidade no bem-estar dos padrões mundanos. O Cristo precisa de pessoas fortes, que deem bons exemplos e que tenham fé, coragem e força para carregar cruzes. A meta é escalar o monte da evolução, com árduo trabalho, mas certos de que a cada passo dado para cima, maior se mostra o horizonte.

Só lembrando, o link para votar na enquete promovida pelo Congresso Nacional é este aqui.

Vida a vida!

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Estudo em áudio: "Salvação"


Estudo em áudio do texto "Salvação", do livro Cirurgia Moral, ditado pelo Espírito Lancellin e psicografado por João Nunes Maia; narração de Dora Carvalho.

Sinopse: A cada um segundo suas obras. A salvação da alma deve ser entendida como auto-iluminação, sempre a caminho das mais elevadas realizações.

Clique aqui para ouvir.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Lançamento na Enciclopédia Espírita Online: Zilda Gama


Nossa Enciclopédia Espírita Online acaba de ser enriquecida com mais um verbete, desta vez, uma homenagem a uma importante personagem para o Espiritismo e para a História do Brasil: Zilda Gama.

Zilda Gama, (Juiz de Fora, interior de Minas Gerais, 11 de março de 1878 - Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 1969) foi uma pedagoga, escritora, ativista pelos direitos da mulher e notável médium espírita.


Conheça a vida e a obra de Zilda Gama.

Aproveite para explorar também os demais verbetes da Enciclopédia Espírita Online, que está constantemente sendo editada para ampliar seu conteúdo e oferecer aos interessados um bom repositório de referências acerca de personagens e conceitos em acordo com a Doutrina Espírita.

Agora é a sua vez de nos ajudar compartilhando esse lançamento. Contamos com o apoio de todos.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Hoje tem Programa Evangelho no Lar Online


Nesta quinta-feira, às 20h (horário de Brasília), tem mais uma edição do Programa Evangelho no Lar Onlineo nosso encontro familiar com Jesus e toda a espiritualidade, para um momento de reflexão, aprendizagem e confraternização espiritual em torno da Boa Nova trazida pelo Mestre de Nazaré, à luz do Espiritismo.

As videotransmissões são feitas via YouTube e você pode acompanhá-las pelo link do YouTube Live, pela página inicial do nosso Portal Luz Espírita.

Participe conosco e nos ajude na divulgação.


quarta-feira, 4 de julho de 2018

Enquete aberta sobre proposição de aborto no Senado


O Senado Federal está fazendo uma consulta pública através do portal eCidadania (veja aqui) a respeito da opinião dos brasileiros quanto a proposição de regulamentar no Brasil a "interrupção voluntária da gravidez, dentro das doze primeiras semanas de gestação, pelo sistema único de saúde - SUS". O resultado dessa enquete não tem absolutamente valor decisório, mas pode nortear o voto dos senadores em deliberações à respeito do tema.

Atualmente, tramita na casa uma sugestão de lei para descriminar o aborto e permitir ainda que o SUS cubra o ato voluntário da mulher que estiver gestante até doze semanas. O autor da sugestão foi André de Oliveira Kiepper, de 36 anos, morador do Rio de Janeiro e mestre em Saúde Pública. Como justificativa, Kiepper apontou que “a atual legislação vitimiza a mulher, tornando-a refém de clínicas de aborto clandestinas”. Ele citou dados do Ministério da Saúde de que 1,25 milhão de abortos ilegais ocorrem ao ano no Brasil. Já o relator do caso na Comissão de Direitos Humanos do Senado, o senador Magno Malta (PR-ES) pediu arquivamento da sugestão sob a alegação de que “O Estado não pode interferir no livre desenvolvimento de um ser humano no ventre de sua mãe”. Ele rebateu os argumentos de que não existe vida desde a concepção e de que a autonomia da mulher precederia o direito à vida do embrião. O senador citou os riscos físicos e psicológicos para a mulher que faz aborto. Por fim, enumerou os impactos sociais e econômicos de uma política pública para a questão no país. Ele apontou, por exemplo, que o custo seria de 2% do Fundo Nacional de Saúde (FNS), o que corresponde a um gasto cerca de 30 vezes superior ao do Programa Rede Cegonha, de atenção à mulher grávida. (fonte Senado)

Pela última apuração que fizemos (consultado em 4 de julho de 2018, às 7h15), o resultado da pesquisa apontava uma leve maioria votando a favor do aborto nesses casos: 264,487 contra 263,961 que não concordaram com essa sugestão de lei.


A votação está em aberto: clique aqui para dar seu voto.

O tema do aborto já tem sido muito debatido em nosso portal e quem nos acompanha sabe da postura que tomamos em face da revelação espírita. Em todo o caso, recuperamos aqui algumas de nossas publicações para a reflexão de todos:


Artigo: "Ela, a 'dona' do corpo, tem o direito de matar o bebê no útero?" por Jorge Hessen


Manifesto contra o aborto – Posição oficial dos médicos da AMERGS (Associação Médico-Espírita do Rio Grande do Sul)‏


Aborto: STF sinaliza legalidade de aborto até o 3° mês de gravidez



"O aborto, o abandono e a roda dos séculos" por Marcus Braga

Se você acha essa questão importante, compartilhe essa postagem e convide seus familiares e amigos a votarem conscientemente na pesquisa realizada pelo Senado Federal para que, na nossa próxima consulta, possamos nos deparar com números mais otimistas. Muitas vidas estão dependendo de nossa opinião.