quarta-feira, 1 de abril de 2020

Calendário Histórico Espírita: 110° aniversário de nascimento de Chico Xavier


Pela memória do Espiritismo, evocamos com satisfação, neste 2 de abril, o 110° aniversário de nascimento de Francisco Cândido Xavier, o inesquecível e querido Chico Xavier, médium espírita, humanista, missionário do Cristo em uma biografia ímpar.

E nos inteirarmos um pouco mais do indizível valor dessa passagem reencarnatória, acompanhemos a palestra de uma contemporânea e amiga de Chico, Célia Diniz, professora, diretamente do Centro Espírita Luiz Gonzaga, em Pedro Leopoldo, Minas Gerais, sua terra natal, em cuja explanação narra, pelas palavras da professora, "a influência determinante de Chico Xavier na vida da nossa família", em vídeo recuperado do II Encontro Nacional dos Amigos de Chico Xavier e sua obra, de 19 de abril 2008.



Veja mais datas e eventos relacionados com o Espiritismo na página

terça-feira, 31 de março de 2020

Calendário Histórico Espírita: aniversário de desencarnação de Allan Kardec (1804-1869)


Recordamos nesta data o 151° aniversário da desencarnação de Allan Kardec (1804-1869), o cumprimento de uma mais extraordinárias missões terrenas e o fechamento de uma fase da sublime tarefa de estabelecer a Doutrina Espírita, como instrumento de renovação espiritual para a nossa humanidade.

Para saber mais sobre a vida e obra de Allan Kardec, o codificador do Espiritismo, ver a Enciclopédia Espírita Online.

E se a palavra racional e caridosa do pioneiro espírita sempre nos é válida, mais ainda o pode ser em tempos de crise, tal os tempos que ora vivemos, para os quais oferecemos a seguinte citação kardequiana cujo prefácio bem pode ser: sobre conhecimento, fé, convicção, ideologia e ativismo:
"Por princípio, deve-se desconfiar dos entusiasmos demasiados febris: são quase sempre fogo de palha, ou simulacros, ardores ocasionais, que suprem com a abundância de palavras a falta de atos. A verdadeira convicção é calma, refletida, motivada; revela-se, como a verdadeira coragem, pelos fatos, isto é, pela firmeza, pela perseverança e, sobretudo, pela abnegação. O desinteresse moral e material é a legítima pedra de toque da sinceridade."
Allan Kardec
Obras Póstumas, artigo "Os desertores"
Veja mais datas e eventos importantes para a História do Espiritismo na página Calendário Histórico Espírita.

segunda-feira, 30 de março de 2020

Lançamento na Sala de Leitura: "Revista Espírita" de Allan Kardec - coleção 1869


Anunciamos o lançamento de mais um título para a nossa Sala de Leitura: Revista Espírita - coleção 1869, contendo as últimas quatro edições publicadas por Allan Kardec (de janeiro a abril) mais, como anexo, as edições restantes daquele ano (de maio a dezembro).

Vejamos a sinopse:

Revista Espírita - coleção 1869
Allan Kardec

Coleção do décimo segundo ano da Revue Spirite - Jornal de estudos psicológicos lançado por Allan Kardec e a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, veículo extremamente importante para a divulgação e desenvolvimento do Espiritismo em sua época e para a atualidade, relevante fonte de pesquisa técnica e histórica acerca da Doutrina Espírita.

Neste anuário, as quatro últimas edições editadas por Kardec (de janeiro a abril) mais as edições restantes daquele ano (de maio a dezembro) publicadas pelo comitê de redação, sob a direção de Armand Desliens.

É uma coleção importantíssima, dentre outras razões, para se compreender os desdobramentos da desencarnação do codificador espírita (em 31 de março de 1869) e as primeiras providências para a continuação de sua obra em prol da divulgação do Espiritismo.

Baixe agora mesmo o PDF da Revista Espírita - coleção 1869.

quinta-feira, 26 de março de 2020

"Curiosidades da 1ª edição em português do livro A Gênese" por Adair Ribeiro


A primeira publicação em português do livro “A GÊNESE, OS MILAGRES E AS PREDIÇÕES SEGUNDO O ESPIRITISMO”, ocorreu entre junho e julho de 1882. A edição foi publicada pela SOCIEDADE ACADÊMICA DEUS CHRISTO E CARIDADE, que foi fundada em 3 de outubro de 1879. A Sociedade considerava que o Espiritismo era uma ciência e um de seus objetivos era criar e manter a Academia Espírita de Ciências.

Afonso Angeli Torteroli foi um dos principais divulgadores e uma das figuras mais importantes para o Espiritismo no final do século XIX e início do século XX no Brasil.

Em janeiro de 1881 a Sociedade Acadêmica lançou o periódico denominado REVISTA DA SOCIEDADE ACADÊMICA DEUS, CHRISTO E CARIDADE, que tinha Torteroli como redator-chefe.

Visando a união e a unificação do Movimento Espírita Brasileiro, foi organizado em setembro de 1881, no Rio de Janeiro, o 1° Congresso Espírita Brasileiro.

Segundo o pesquisador Mauro Quintella, biógrafo de Torteroli, ele foi fundador do “Centro da União Espírita do Brasil”, instituição que tinha a intenção de coordenar o Movimento Espírita Brasileiro.

Torteroli foi um dos mais atuantes diretores da Sociedade Acadêmica. Sob sua influência e liderança, ocorreu imprescindível oposição ao trabalho da edificação do pensamento de Roustaing no Brasil. Torteroli, era líder dos chamados “científicos” (antirroustainguismo), e investiu fortemente contra Bezerra de Menezes tido como “místico” (neorroustainguista).

Segundo as informações constantes em uma das folhas iniciais da primeira edição brasileira do Livro A Gênese, publicada em 1882:

O Centro na 13ª Sessão Extraordinária preparatória da “Academia Spirita de Sciencias”, realizada em 28 de agosto de 1881, foi deliberado que a sua diretoria estava autorizada a publicar com urgência a tradução da 5ª obra adotada pela Sociedade Acadêmica (vide foto) – A GÊNESE, OS MILAGRES E AS PREDIÇÕES SEGUNDO O ESPIRITISMO, sob a organização de sua COMISSÃO DE REDAÇÃO, à vista das duas traduções que foram oferecidas.

Foto 1

As obras adotadas pela Sociedade Acadêmica eram: 1ª) O Livro dos Espíritos (parte filosófica) contendo os princípios da Doutrina Espírita; 2ª) O Livro dos Médiuns (parte experimental) contendo a teoria de todos os gêneros de manifestações espíritas; 3ª O Evangelho Segundo o Espiritismo (parte moral) contendo a explicação das máximas do Cristo, sua aplicação e concordância com o Espiritismo; 4ª O Céu e o Inferno ou a justiça divina segundo o Espiritismo (parte doutrinária), contendo números exemplos sobre o estado dos Espíritos no mundo espiritual e na Terra; 5ª A Gênese, os milagres e as predições segundo o Espiritismo (parte científica), contendo a explicação das leis que regem os fenômenos da natureza.

Estas obras foram adotadas em francês. As traduções serão aprovadas depois de cotejadas com os originais. A presente tradução de A Gênese, publicada sob os auspícios da Sociedade Acadêmica, foi aprovada.

Segundo o pesquisador Mauro Quintella, o trabalho de tradução era creditado à Comissão de Redação da Sociedade Acadêmica, mas, Quintela informa que, segundo o confrade Arthur Machado, era Torteroli, sozinho, quem executava essa tarefa.

Torteroli, também, colaborou na elaboração dos primeiros números da REVISTA O REFORMADOR, que foi lançada em 21 de janeiro de 1883. A Sociedade Acadêmica suspendeu a circulação da REVISTA O RENOVADOR para que o público não se dividisse entre ela e o Reformador. Os assinantes do primeiro, caso desejassem, passariam a receber o segundo.

Gostaríamos de apontar algumas curiosidades que se apresentam na primeira edição brasileiro do livro A GÊNESE, que foi lançada entre junho e julho de 1882, pela Sociedade Acadêmica.

Foto 2

Foto 3


PRIMEIRA CURIOSIDADE

Na folha que consta a descrição da obra, autor e o editor, é informado que ela foi traduzida da OITAVA EDIÇÃO (vide foto 1) do original francês. Aí temos um primeiro questionamento e mistério! Como pode esta obra ter sido feita a partir da oitava edição do original em francês, se a SÉTIMA EDIÇÃO e a OITAVA EDIÇÃO dos livros em francês - LA GENÉSE LES MIRACLES ET LES PRÉDICTIONS SELON LE SPIRITISME - foram lançadas em 1883 (vide foto 2)?

Teria existido uma OITAVA EDIÇÃO em francês sido lançada antes de 1882, assim como temos uma QUINTA EDIÇÃO com o ano de 1869 e uma outra QUINTA EDIÇÃO sem data definida, a qual atribuem o ano de 1872?


SEGUNDA CURIOSIDADE

Conforme informamos acima, a 13ª Sessão Extraordinária preparatória da “Academia Spirita de Sciencias”, que autorizou a publicação em português do livro A Gênese, se realizou em 28 de agosto de 1881, portanto as traduções que foram apresentadas na referida reunião, só poderiam ter sido feitas, ou da QUINTA EDIÇÃO, ou da SEXTA EDIÇÃO dos originais em francês, visto que, a título de exemplo, no Capítulo XV, da obra em português constam 67 itens e não 68 itens, como nas quatro primeiras edições em francês do livro LA GENESE (vide foto 4).

Foto 4



TERCEIRA CURIOSIDADE

Para esta curiosidade, precisaremos reproduzir o PREFÁCIO DA TRADUÇÃO, constante do livro (série de fotos a seguir).

     “A Sociedade Academica Deus Christo e Caridade sabe que o mais sólido monumento é aquele que se ergue espontaneamente no coração dos homens, por que é o sentimento de gratidão, é o amor que lhe serve de base; o qual é mais firme e inabalável do coração Espírita, resiste mais ao embate das paixões do que a pedra e o ferro à ação do tempo.
      Movida pelo desejo de secundar os esforços do Fundador da Doutrina, e querendo concorrer para a realização do intuito daquela grande alma, - levar a luz espírita a todos os homens, para que se regenerem - ; julga de seu dever a Sociedade Acadêmica, trasladando para o português as obras fundamentais do Espiritismo, como prova de homenagem ao seu colecionador, nosso Mestre, Allan Kardec, conservá-las com o cunho que ele imprimiu-lhes; com aquela disposição, ordem e desenvolvimento próprios ao molde em que, atendendo às condições de tempo, lugar e conveniência, as vasou o seu bom senso, a sua robusta e bem preparada inteligência.
    Por isso, conquanto alguns condiscípulos mostrassem desejo de que modificações fossem feitas em certos pontos deste volume, de acordo com as ideias manifestadas na obra Os Quatro Evangelhos explicados segundo o Espiritismo, e outras que os Membros da Sociedade Acadêmica também conhecem; publicamos a presente tradução de A Gênese, sem a mínima alteração e mesmo sem anotações; não concordamos que fosse aumentada ou alterada, posto que já tivessem sido obtidas revelações ou se façam novas descobertas, mostrando que em alguns pontos a obra esteja incompleta ou que alguns dos assuntos nela tratados, não o foram sob o seu verdadeiro ponto de vista.
         A Sociedade Acadêmica julga que não lhe assiste, como a ninguém, o direito de alterar o plano e, menos ainda, as bases fundamentais, as teorias, a doutrina das obras publicadas pelo nosso Mestre; não só por lhe parecer isso uma profanação, por serem um legado precioso, pois que por elas conhecemos a verdade, se nos fez a luz; mas ainda, porque também não há lei alguma conhecida que justifique tal procedimento; e, se tal lei existisse, seria bárbara, despótica, vandálica, porque seria a anulação da propriedade, seria a negação do direito.
     Nesta edição, a primeira que se publica em língua portuguesa, apenas substituímos, em algumas notas, as referências à Revista de Paris, por outras a da Sociedade Acadêmica, em benefício dos leitores que não conhecem a língua francesa, e isso mesmo, só o fizemos no último capítulo, porque antes não nos tinha ocorrido o pensamento de que os leitores da Gênese, em português, não poderiam utilizar-se das citações, que os enviam à Revista de Paris, não só pela diferença de língua, como também, porque a aquisição, daquele repositório de variada, interessante e profunda fonte de instrução espírita, já não está ao alcance de todas as bolsas, e não é fácil no Brasil.
       Atendendo a isso, vamos trasladar da Revista de Paris para a nossa todos os artigos a que se referem às obras fundamentais da doutrina espírita, e na próxima edição das obras, que havemos de dar, não só cotejaremos a tradução dos quatro primeiros volumes com o original, afim de que saiam escoimados de todo o erro, como também daremos nas notas, citações dos fatos publicados na Revista de Paris, e transcritos na Revista da Sociedade Acadêmica – Deus Christo e Caridade: para o que começaremos desde já esse trabalho.
      Terminando a nossa tarefa, consideraremos suficientemente retribuído o nosso trabalho, se os leitores auferirem – da obra – toda a vantagem que, de meditada leitura dela, lhes provirá necessariamente; e nos confessamos felizes, transcrevendo aqui o seguinte:
     “Sim; porque ainda qualquer ideia, das ali colecionadas, tivesse de sofrer qualquer retoque ou modificação, seria trabalho reservado para uma obra especial, cuja leitura, sendo boa para aqueles que já conhecem profundamente a Ciência Espírita não convém àqueles que apenas começam. Porque, não estando preparados, teriam de fazer passar bruscamente por uma inversão todas as ideias arrigadas em seu cérebro, o que é contrário às leis naturais, e por isso inconveniente.       Não defendo a obra que colecionei, mas o melhor sistema de, com método, lenta e suavemente, preparar aqueles que devem conhecer o que de mais elevado poderia se apresentar à concepção humana.
 
        31 de março de 1882

Allan Kardec”







Gostaríamos, após esta transcrição, de deixar uma reflexão, que chamamos de Terceira Curiosidade.

Conhecendo um pouco da historiografia do Espiritismo do final do século XIX e início do século XX, e as batalhas existentes ente os chamados “Científicos” e os “Místicos”, e considerando que no período de publicação da Primeira Edição brasileira (junho/julho de 1882), ou mesmo na data (13 de agosto de 1881) da referida reunião que aprovou sua publicação, o grupo da Sociedade Acadêmica era, majoritariamente, "científico";

Considerando que de acordo com o Prefácio da Tradução, os científicos, liderados por Torteroli, que provavelmente foi o autor - conforme expõe o pesquisador Mauro Quintella - de uma das duas traduções apresentadas na citada reunião da 13ª Sessão Extraordinária;

Considerando que foram evitadas todas as investidas Roustainguistas de tentativas de modificações na obra original de Allan Kardec - conforme mostrado acima - nesta tradução da Primeira Edição da Gênese em português;

Considerando que a tradução foi feita à partir da QUINTA EDIÇÃO ou da SEXTA EDIÇÃO, conforme mostramos acima, e Torteroli foi o grande expoente do Espiritismo e dos Científicos, no final do século XIX e início do século XX;

Considerando, finalmente, que Torteroli evitou as mudanças propostas pelos mistificadores, por ser um científico;

Teria o jornalista, dono de companhia teatral, agenciador de empregos, corretor de imóveis, professor, advogado e tradutor, deixado passar todos os desvios doutrinários que hoje são alegados na Quinta Edição do Livro A Gênese, sendo ele um dos principais divulgadores e uma das figuras mais importantes para o Espiritismo no final do século XIX e início do século XX no Brasil, e combatente feroz dos Místicos?



QUARTA CURIOSIDADE

O Livro era comercializado em 1882 pelo valor de 3$000 (ou três mil réis), e se fosse encadernado, por 4$000 (ou quatro mil réis). A título de comparação, o jornal O Globo, do Rio de Janeiro, custava 40rs (quarenta réis), em julho de 1882.

Ficam as reflexões...e ficam as Curiosidades!


Adair Ribeiro



-------------------------------

O livro A Gênese, Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo, de 1882 – Editor B.L. Garnier - pertence ao acervo do museu AllanKardec.online

A 7ª. Edição do livro A Gênese pertence ao acervo do Museu AllanKardec.online.

Referências:
3. Jornal O Globo – 21/07/1882
4. Jornal Gazeta da Tarde – 24/07/1882
5. Jornal O Progresso – número 76 – agosto de 1882
6. Jornal Gazeta de Notícias – 08/08/1882

terça-feira, 24 de março de 2020

Vida, morte e reencarnação em nova animação da Disney-Pixar: "Soul"


A Disney e os estúdios da Pixar estão para lançar um desenho animado que, pelo trailer, parece muito sugestivo para espíritas e espiritualistas em geral: Soul, com estreia anunciada para 25 de junho deste 2020 — embora a data esteja para ser reprogramada devido o problema da pandemia de coronavírus. Na chamada principal do filme, temos a interessante citação: "A descoberta de um novo mundo vai te ensinar a viver a melhor versão de sua vida.".

Confira o trailer:


Morte, imortalidade da alma e reencarnação são temperos dessa surpreendente aventura, tal porque o filme pode ser uma excelente oportunidade para pais e filhos, além de se divertirem, possam conversar sobre os valores espirituais. Assim, vamos ficar atentos à programação de lançamento dessa animação.


Gostou? Então compartilhe!

quarta-feira, 18 de março de 2020

Pesquisa Espírita: lançamento da página especial sobre "O Caso A Gênese"


O Portal Luz Espírita está lançando uma sessão especial chamada Pesquisa Espírita que, como o próprio nome sugere, é destinada a expor trabalhos com estudos e investigações especiais sobre determinados temas de interesse do Espiritismo. E para o nosso lançado, trazemos "O Caso A Gênese", acerca da atualíssima polêmica do conteúdo final do livro A Gênese, os milagres e as predições segundo o Espiritismo, de Allan Kardec.

A página traz um apanhado minucioso sobre o desenvolvimento histórico das especulações de ilegalidade da versão "revisada, corrigida e aumentada" encontrada a partir da 5ª edição da referida obra. Esse apanhado está então distribuído em quadros com tópicos enumerados para facilitar o entendimento.


Acompanhando passo a passo esses tópicos, o leitor terá a uma experiência semelhante a dos pesquisadores que se debruçaram e ainda estão se debruçando sobre esse caso, inclusive porque ele ainda está andamento. Esta nossa página mesmo está em constante edição, acompanhando o desenrolar dos acontecimentos, colhendo as últimas descobertas e catalogando as pistas e evidências mais fortes a fim de esclarecermos a questão: o livro A Gênese de Allan Kardec foi ou não adulterada a partir da 5º edição?

Estamos editando a página para alimentar o Glossário com os termos e as personalidades envolvidas no caso, bem como o quadro de fontes de pesquisa.

Ah, e você também pode deixar a sua opinião no fórum aberto no final da página.



Visite agora mesmo a página Pesquisa Espírita.

Calendário Histórico Espírita: aniversário de nascimento do médium Edgar Cayce


Esta quarta-feira, 18, marca o 123° aniversário de nascimento de um dos mais notáveis médiuns do século XX, o americano Edgar Cayce (1877-1945), a quem chamavam "O outro Nostradamus", devidos incríveis previsões que fez a respeito de eventos de ordem mundial (por exemplo, a quebra da bolsa novaiorquina em 1929 e o início e o fim das duas grandes guerras (1914-1918 e 1939-1945); também era conhecido como "O profeto adormecido", em razão de aparentar estar dormindo durante os transes mediúnicos, e quando "dormia" sobre livros, despertava com o conteúdo da obra integralmente na sua memória; também porque ele, com os olhos fechados, "dormindo", era capaz de diagnosticar moléstias (clarividência), facilitando o tratamento médico dos pacientes.

Cayce foi uma das mais fortes evidências em seu tempo para as ideias de imortalidade da alma, espiritualidade e a reencarnação, que ele defendia com plena convicção, dado sua capacidade de fazer leituras das vidas passadas de seus consulentes.

Aproveitemos a data para aprender um pouco mais sobre a sua biografia através do seguinte documentário:


Veja mais datas e eventos relacionados com o Espiritismo na página

terça-feira, 17 de março de 2020

Coronavírus: mundo em pânico e vazio de espiritualidade


O pânico toma conta do mundo por conta da expansão do coronavírus; mortes em massa, fronteiras fechadas, pessoas confinadas em suas casas e uma crise econômica sem precedentes são os efeitos mais visíveis desse caso. No meio espírita, é sentida a necessidade de cancelamentos de eventos doutrinários. Diante disso, é natural que se busque respostas espirituais para explicar essa calamidade planetária, donde não poderíamos subestimar a ignorância e a malvadeza dos espíritos mais fracos, que não perdem a oportunidade de aparecer e disseminar suas superstições e torpezas supostamente em nome de certas entidades. Veja-se, por exemplo, a proliferação de fakeNews, em bom português: notícias falsas, que não são brincadeiras, são crimes morais, especialmente para com as pessoas menos preparadas.

É nesse sentido que recomendas a leitura do informe que publicamos da Associação Médico-Espírita do Brasil sobre os cuidados básicos em prevenção ao coronavírus (veja aqui).

Trazemos também um vídeo do médium e orador espírita Divaldo Pereira Franco falando dessa pandemia:


Todo esse pânico nada mais é do que um flagrante do vazio espiritual das pessoas; não um vazio de fé, porque há fé em tantas coisas, incluso no materialismo; não um vazio de religião, porque há muitas liturgias e cerimoniais. Dizemos um vazio de verdadeira espiritualidade, de verdadeira fé, de verdadeira religiosidade, coisas que transcendem os valores de nossa dimensão terrena; é um vazio de Deus, de fraternidade universal, de autoconhecimento; falta de filosofia espírita.

É preciso conservarmos a lucidez e a racionalidade: todos nós, nesse mundo ainda de expiações e de provas, estamos expostos todo o tempo a uma infinidade de males, inclusive o de morrer subitamente por conta dos mais insignificantes motivos, através das mais insignificantes vias; a morte é fato, inexoravelmente e para todos, pelo que devemos estar sempre cientes dessa condição natural; não há razão, pois, para estranheza alguma, nem de desconfiança de que as coisas estejam "fora do controle da espiritualidade" e, sobretudo, de "Deus"; tudo faz parte da bondade, sabedoria e onipotência divina. Logo, confiemos no nosso pai celestial.

A preocupação com a morte e o desejo de viver é um instinto natural e está na Lei de Conservação (ver em O Livro dos Espíritos, especialmente entre as questões 702 e 765. Contudo, não percamos de vista que esta nossa condição física atual não é a vida definitiva, que este mundo material é só mais um laboratório dentre todas as moradas da casa do pai.

Compreendamos os valores espirituais e as condições existenciais, e veremos que não é o coronavírus ou qualquer outra enfermidade carnal que precisa receber tanta atenção de nossa parte, mas a necessidade de evoluirmos espiritualmente, nos campos da intelectualidade e da moral. Que esses dias de reclusão sirvam inclusive de oportunidade para o estudo desses valores. Para isso, oferecemos a nossa plataforma online de estudos espíritas PEADE.

Então eu fico com a definição de Herculano Pires para o Espiritismo:


"O Espiritismo é a doutrina que esclarece consolando e consola esclarecendo."
Jose´Herculano Pires

sexta-feira, 13 de março de 2020

Coronavírus: informe da AME-Brasil


O site da Federação Espírita Brasileira publicou nesta sexta-feira, 13 de março, um informe da AME-Brasil sobre a pandemia de coronavírus, notícia da vez em todo o mundo, e aqui reproduzimos na íntegra porque julgamos oportuno a todos nós.


CORONAVÍRUS
INFORME ASSOCIAÇÃO MÉDICO-ESPÍRITA DO BRASIL (AME- BRASIL)
13 de março de 2020


A evolução da pandemia de Coronavírus (COVID-19), com ocorrência em vários países e se disseminando rapidamente, torna essencial a participação de toda a nossa sociedade nas medidas necessárias para sua prevenção e controle.

Apesar de se tratar de um novo vírus, o conhecimento acumulado até o momento, a partir dos milhares de casos em outras regiões, tem permitido que nosso país desenvolva planos de ação procurando reduzir os danos desta pandemia, já considerada uma emergência de saúde pública. Mas será necessária a mobilização e participação de todos.

Alguns esclarecimentos devem ser apontados: oitenta por cento dos casos de infecção por Coronavírus são leves e os sintomas lembram um resfriado comum. Casos graves acontecem principalmente em pessoas com mais de 60 anos de idade e/ou com doenças crônicas, como doenças cardíacas, pulmonares, renais e em pessoas com imunidade reduzida por doença ou medicação.

Individualmente, a infecção pelo Coronavírus não difere muito das infecções respiratórias já existentes na população. Por isso, não há motivo para pânico ou medidas desesperadas. A grande preocupação em relação a esta pandemia é que o número de casos pode aumentar de maneira abrupta, em escala geométrica, o que acarretaria em um grande número de doentes, alguns com doença grave, de modo simultâneo. Este fato sobrecarregaria os serviços de saúde, sejam eles públicos ou privados, com risco de faltar assistência adequada para toda a população. Esta é a razão pela qual as medidas de contenção são essenciais, para tornar mais lenta a instalação desta pandemia e permitir que os serviços de saúde se organizem para oferecer atendimento adequado.

A comunidade espírita e a comunidade ligada à Associação Médico-Espírita do Brasil têm um compromisso com a saúde espiritual e física e com ações de fraternidade e solidariedade.

Com essas preocupações, e avaliando a situação atual, a AME-Brasil recomenda as seguintes medidas:
  1. Seguir as recomendações dos órgãos oficiais, Ministério da Saúde do Brasil e Organização Mundial da Saúde, quanto aos comportamentos adequados tais como “etiqueta respiratória” (tossir ou espirrar no próprio braço ou dento da camisa), higienização frequente das mãos com álcool gel a 70% ou com água e sabão e evitar contato das mãos com as mucosas da boca, nariz e olhos. Pessoas com sintomas respiratórios devem procurar o atendimento médico o mais breve possível e colaborar com o isolamento domiciliar até ordem médica.
  2. Devido à grande dimensão territorial do Brasil e a pluralidade de cenários, as medidas de contenção podem variar conforme a localidade. Assim, é importante estar atento às recomendações dos estados e municípios, que podem mudar durante o período de pandemia.
  3. A princípio, a maior gravidade da doença está na população com idade superior a 60 anos com ou sem comorbidades crônicas. Por este motivo recomendamos que estas pessoas evitem o contato social, especialmente em reuniões com maior número de pessoas, como palestras públicas, atendimento ao público, grandes grupos de estudo ou grandes grupos mediúnicos.
  4. Trabalhos de atendimento espiritual abertos ao público podem ser realizados por atendimento à distância (por exemplo, passe a distância), através do trabalho de irradiações, com a formação de correntes de vibração, através da prece, em favor de toda a comunidade mundial, brasileira.
  5. Reuniões com grande número de pessoas devem ser evitadas. Para as casas espíritas com recursos disponíveis as atividades virtuais são preferíveis durante o período da pandemia.
  6. Suspender eventos com grande número de pessoas até que essa medida seja reavaliada de acordo com a evolução da situação epidemiológica.
  7. Pessoas com sintomas respiratórios não devem participar de atividades neste período de pandemia.
  8. Manter reuniões de trabalho que envolva pequeno número de pessoas, tomando-se os cuidados preconizados pela área de saúde pública. Delas não deverão participar trabalhadores com sintomas respiratórios, assim como se deverá evitar contato físico como aperto de mãos, abraços e beijos. Essas medidas podem parecer, para alguns, excessivas no momento, mas é importante estimulá-las porque se trata de mudança de comportamento (o que é sempre difícil) e poderão se tornar fundamentais em seguida, com a evolução da epidemia.
  9. O fornecimento de álcool gel em locais chaves da casa espírita, como na entrada, na biblioteca e nos banheiros pode auxiliar sobremaneira na contenção do vírus.
  10. Contribuir com as ações propostas pelas autoridades sanitárias, especialmente através da divulgação de informações confiáveis e desenvolvendo um trabalho de educação em saúde junto às comunidades atendidas e/ou ligadas à AME-Brasil.
Essas medidas serão reavaliadas sistematicamente, de acordo com a evolução da situação da doença. Nosso país é grande e diverso e, até o momento, a distribuição dos casos confirmados é heterogênea nos diversos estados. São Paulo e Rio de Janeiro possuem o maior número de casos confirmados e acredita-se que nesse momento possam estar na iminência ou em fase inicial de contágio comunitário. As capitais desses dois estados são cidades muito populosas e apresentam um fluxo muito grande de pessoas em viagens de entrada e saída. Uma vez estabelecida a transmissão comunitária, quando não se identifica mais a fonte de aquisição do vírus, outras medidas poderão ser necessárias.

Mais informações sobre Coronavírus (COVID-19) e sobre as medidas de prevenção propostas à sociedade podem ser encontradas no site do Ministério da Saúde do Brasil: https://saude.gov.br.

Também está disponível APP para sistemas operacionais iOS e Android, desenvolvidos pelo Ministério da Saúde, que podem ser baixados gratuitamente, e permite o acompanhamento da situação e das orientações em tempo real.

Devemos lembrar que os problemas que nos surgem são oportunidades para aprendizado, oferecidos por Deus, para nosso próprio crescimento, seja ele individual ou coletivo. Como afirma Emmanuel na obra Ceifas de Luz: “Não há sofrimento sem significação”. Semelhante aos dramas individuais, devemos manter a fé e a serenidade para permitirmos a inspiração do Mundo Maior para nos auxiliar no enfrentamento desta pandemia.

Como prevenir o contágio?
  • Lave as mãos com água e sabão ou use álcool gel a 70%.
  • Cubra o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.
  • Evite aglomerações se estiver doente.
  • Mantenha os ambientes bem ventilados.
  • Não compartilhe objetos pessoais.

PERANTE A ENFERMIDADE

Sustentar inalteráveis a fé e a confiança, sem temor, queixa ou revolta, sempre que enfermidades conhecidas ou inesperadas lhe visitem o corpo ou lhe assediem o lar.

Cada prova tem uma razão de ser.

Com o necessário discernimento, abster-se do uso exagerado de medicamentos capazes de intoxicar a vida orgânica.

Para o serviço da cura, todo medicamento exige dosagem.

Desfazer ideias de temor ante as moléstias contagiosas ou mutilantes, usando a disciplina mental e os recursos da prece.

A força poderosa do pensamento tanto elabora quanto extingue muitos distúrbios orgânicos e psíquicos.

Sabendo que todo sofrimento orgânico é uma prova espiritual, dentro das leis cármicas, jamais recear a dor, mas aceitá-la e compreendê-la com desassombro e conformação.

A intensidade do sofrimento varia segundo a confiança na Lei Divina.

Aceitar o auxílio dos missionários e obreiros da medicina terrena, não exigindo proteção e responsabilidade exclusivas dos médicos desencarnados.

A Eterna Sabedoria tudo dispõe em nosso proveito.

Afirmar-se mentalmente em segurança, acima das enfermidades insidiosas que lhe possam assaltar o organismo, repelindo os pensamentos e as palavras de desespero ou cansaço, na fortaleza de sua fé.

A doença pertinaz leva à purificação mais profunda.

Aproveitar a moléstia como período de lições, sobretudo como tempo de aplicação dos valores alusivos à convicção religiosa. A enfermidade pode ser considerada por termômetro da fé.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” — Jesus.
(MATEUS, 11:28).

Espírito André Luiz – psicografia de Waldo Vieira
em Conduta Espírita – editora FEB, cap. 35).

Diretoria da AME-Brasil
Dr. Gilson Luis Roberto – Médico homeopata e presidente da AME-Brasil.
Dr. Vicente Pessoa Jr – Médico infectologista e vice-presidente da AME Goiânia (GO).
Dr. Ricardo de Souza Cavalcante – Médico infectologista do Hospital das Clínicas da
Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP e presidente da AME Botucatu (SP).


Fonte: FEB

Sala de Leitura: lançamento de "Não se morre" de Léon Chevreuil


Mais um livro importante acaba de chegar à nossa Sala de Leitura: trata-se de uma obra rara, das primeiras gerações do movimento espírita internacional, assinada por um grande estudioso do Espiritismo e devotado escudeiro da obra kardecista: Léon Chevreuil, que nos brinda com o seu Não se Morre.

Léon Chevreuil (1852-1939) foi presidente da União Espírita Francesa, filósofo e excelente escritor, além de pintor talentoso, com obras espalhadas em grandes museus e coleções particulares. Conviveu e foi amigo de outras expressivas personalidades espíritas, tais como: Léon Denis, Gabriel Delanne, Jean Meyer, Ernesto Bozzano e Hubert Forestier. Escreveu ainda: O Espiritismo incompreendido (1931) e Espiritismo na Igreja (1937).

Em Não se Morre, Chevreuil faz um arrasador apanhado de demonstrações concretas, baseadas em experimentos científicos da época, sobre a sobrevivência da alma pós-morte, desmantelando completamente qualquer ideia de materialismo.

Lançado em Paris, França, em 1920, é um tratado tão profundo e tão bem elaborado que foi laureado pela Academia de Ciências em 1919.

Saboreie a capacidade e lucidez de Léon Chevreuil em Não se Morre, tradução de Abílio Ferreira Filho.

Clique aqui para fazer download do livro.

quarta-feira, 11 de março de 2020

Publicado o PDF da 5ª edição de A Gênese de 1869


Como já era esperado, temos finalmente já publicado um PDF com uma cópia na íntegra do livro A Gênese, de Allan Kardec, 5ª edição de 1869, que desencadeou novas complicações para o caso (veja mais aqui).

O exemplar foi descoberto por Carlos Seth do CSI do Espiritismo e a cópia virtual foi publicada ontem à noite por Adair Ribeiro, através do seu site Allan Kardec Online. Adair foi quem nos disponibilizou os manuscritos originais de Kardec sobre a intenção de fazer alterações na referida obra (veja aqui).



Aqui, link para download de A Gênese, 5ª edição de 1869.

Continuamos acompanhando o caso.
Siga o nosso Twitter para receber tudo em primeira mão!
https://twitter.com/LuzEspirita

terça-feira, 10 de março de 2020

Programa Livre Pensamento com Paulo Henrique de Figueiredo sobre a 5ª edição suíça de A Gênese


Na nossa última postagem sobre o caso de A Gênese, na qual praticamente excluímos a expectativa de diferença de conteúdo entre a 5ª edição publicada em 1869 e a 5ª edição de 1872 (veja aqui), temos agora novas considerações feitas pelo pesquisador Paulo Henrique de Figueiredo a respeito deste achado (o exemplar da 5ª edição de 1869 descoberto pelo CSI do Espiritismo numa biblioteca suíça, como visto aqui). As explicações de PHF foram dadas no programa Livre Pensamento de ontem (segunda-feira, 9) da TV Mundo Maior, aliás, programa esse muito bem conduzido pelo apresentador Claudio Palermo, que levantou interessantes questões e ocasionou que PHF pudesse dar a sua versão do caso.

Acompanhe o vídeo do programa:


Breve, faremos alguns comentários sobre as explicações dadas. Por hora, deixemos nossos confrades refletirem um pouco mais sobre as considerações de Paulo Henrique de Figueiredo.


Continuamos acompanhando o caso.

Siga o nosso Twitter para receber tudo em primeira mão!
https://twitter.com/LuzEspirita

segunda-feira, 9 de março de 2020

"Caso A Gênese": análise fotográfica das duas versões da 5ª edição (1869 e 1872)


Seguindo nossas pesquisas sobre o caso A Gênese (saiba mais aqui), temos informações de que uma comitiva brasileira já está na Suíça para fazer a digitalização do exemplar encontrado na Biblioteca da Universidade de Neuchâtel e espera-se que brevemente teremos a sua publicação online. A grande dúvida é se esta 5ª edição de 1869 tem o mesmo conteúdo da 5ª edição de 1872. Antes, porém, que tenhamos essa resolução, nós cuidamos de fazer uma comparação fotográfica das duas versões, o que nos dá um bom indício do que se está para descobrir.

Da cópia suíça, temos, por enquanto, três fotografias, conseguidas (por intermédio do bibliotecário de Neuchâtel) e publicadas por Carlos Seth, do CSI: Espiritismo. Já a versão digital da 5ª edição lançada por Leymarie em 1872 está integralmente disponível online (veja cópia de Autores Espíritas Clássicos). A partir daí fizemos um exame de imagem, considerando que as poucas fotografias da cópia suíça são bem estratégicas.


1ª FOTOGRAFIA

A primeira fotografia contém duas páginas:
  1. Folha com dados da tipografia (a firma que imprimiu o livro), que é a Typ. Rouge Frères, Dunon et Fresné, localizada na rua du Four Saint-Germain n° 43, Paris (a mesma tipografia que imprimiu as edições anteriores desta obra).
  2. Folha de rosto (ou, capa interna), contendo os dados da obra (título, autor, edição, editora, ano da publicação, etc.). O detalhe aqui é a indicação "Cinquième édition - revue, corrigée et augmentée", ou seja: "Quinta edição - revisada, corrigida e aumentada"; também traz o nome da Livraria Espírita e de Ciências Psicológicas (Librarie Spirite et du Sciences Psichologiques), localizada na rua de Lille n° 7 (a livraria criada por Allan Kardec) e mais duas livrarias: A. Lacroix, Verboeckhoven et Cª Éditeurs e Didier et Cª. Além disso, claro, tem o ano: 1869.

A folha 1 de 1869 não aparece na edição de 1872 da mesma forma, mas a indicação da mesma tipografia foi colocada na anterior à folha de rosto, depois da propaganda das demais obras da livraria.


Já a folha de rosto de 1872 não contém o ano de publicação e só traz a indicação de uma editora: a Livraria Espírita. O detalhe é que o nome da livraria está resumido, veja: na edição de 1869 está Librarie Spirite et du Sciences Psichologiques, enquanto na de 1872 consta A Librarie Spirite.

Veja as duas folhas de rosto postas lado a lado:



LICENÇA DE PUBLICAÇÃO

Na época de Kardec, somente as editoras licenciadas (e eram poucas; estima-se que em torno de sessenta) poderiam fazer pedidos de registros governamentais para imprimir e publicar obras. As editoras menores precisavam sempre recorrer a uma daquelas firmas credenciadas a fim de lançarem suas publicações (ver em Espiritismo Comentado).

Assim sendo, nossa suspeita é a de que em 1869 a recém-lançada Livraria Espírita precisou dos serviços da firma A. Lacroix para registrar essa 5ª edição; já na de 1872, teria dispensado desse intermediário em razão (provavelmente) de adquirir sua própria licença.

Mas, enfatizamos: isso é uma especulação nossa.



2ª FOTOGRAFIA

A segunda imagem que vamos analisar é a que traz as duas últimas folhas do índice da obra ("Table des Matières"). Vejamos:



Essa imagem é importante porque por ela, além de conferir a relação dos capítulos, podemos saber quantas páginas o livro (antigamente o índice era posto no final da obra), que, no caso, a resposta é 471 páginas.

Agora vamos trazer aqui as folhas correspondentes da edição de 1872:


Vemos então que a numeração de páginas é a mesma: 471 páginas no total em ambas as edições. E não apenas isso, a paginação interna igualmente é idêntica; o capítulo XI ("Genèse spirituelle"), por exemplo, nas duas edições é paginado pelo mesmo numeral 224.

Para nos assegurarmos disso, fizemos uma comparação usando um editor de imagem e sobrepomos as tuas figuras; veja o resultado:



Isso é uma pista forte que a edição de 1872 é uma cópia da 5º edição de 1869, ou melhor: uma reimpressão, usando as mesmas matrizes de impressão, com exceção da folha de rosto e das páginas adjacentes (por exemplo, a folha dos dados da tipografia, como vimos na 1ª fotografia).

Isto não garante que as revisões, correções e inserções feitas na 5ª tenham sido montadas na tipografia tal como Kardec as encomendou. Mas é fato que não há  de haver surpresas quanto ao conteúdo da cópia suíça. Tudo leva a crer que ela é cópia da edição de 1872, e vice-versa.

Continuamos acompanhando o caso.
Siga o nosso Twitter para receber tudo em primeira mão!
https://twitter.com/LuzEspirita