sexta-feira, 1 de abril de 2022

Lançamento: "A Gênese, os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo" de Allan Kardec em novíssima tradução

Já está disponível em na Sala de Leitura do Portal Luz Espírita a novíssima tradução do livro A Gênese, os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, a obra que coroa a Codificação do Espiritismo e consagra o papel da Doutrina Espírita para a nova fase evolutiva da humanidade, que está predestinada a adentrar na Era de Regeneração, para a qual todos nós fomos convocados a contribuir, acelerando o processo através da reforma moral da nossa sociedade.

A nova tradução, que passamos a adotar, foi realizada por Ery Lopes, tendo como base a 5ª edição da obra em francês, La Genèse, les Miracles et les Predictions selon le Spiritisme, que é sua segunda versão, dita "revisada, corrigida e aumentada", publicada em meados de 1869 pela Livraria Espírita e de Ciências Psicológicas, criada pelo codificador espírita justamente para ser a livraria oficial das obras espíritas.

A versão original foi lançada em 6 de janeiro de 1868 e foi reimpressa em mais três edições naquele mesmo ano, todas rapidamente esgotadas, tanto que havia forte cobrança por uma nova remessa. Ocorre que pouco depois da seu lançamento, Kardec já passou a trabalhar em uma nova versão, contendo algumas melhorias e ampliação de ideias por ele recém-desenvolvidas — sempre em sintonia com as sugestões dos seus amigos espirituais. Esta segunda versão, então assinalada como "revisada, corrigida e aumentada", estava para ser lançada juntamente com a inauguração da Livraria Espírita, que o codificador tanto idealizava como grande passo para a divulgação do Espiritismo; ela foi instalada na Rue de Lille n° 7, no centro de Paris, e seria aberta ao público em 1 de abril daquele 1869. Aconteceu, porém, que seu idealizador veio a falecer no dia anterior, justamente durante os preparativos para a grande inauguração. Seguindo o trabalho, a livraria foi inaugurada e pouco tempo depois a nova versão do livro foi publicada.

A publicação póstuma de A Gênese, os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo e outros elementos históricos fizeram com que alguns supusessem que ela não fosse legítima, mas sim uma versão adultera por terceiros. Não faz muito tempo, inclusive, que uma nova campanha nesse sentido fosse levantada aqui no Brasil, com grande alarido e emoldurada com uma tese conspiratória que se estendeu até outra obra de Kardec  O Céu e o Inferno. A campanha acabou servindo de impulso para novas frentes de pesquisas historiográficas acerca do movimento espírita e fomentou grandes realizações nesse sentido, além de vencer aquelas suposições de adulterações. Para saber mais sobre essa polêmica, visite a página especial de pesquisa O caso A Gênese.

Essa mesma campanha, movida pela ideia de adulteração, suscitou ainda um debate no meio espírita sobre a fidelidade das traduções de Kardec para o nosso português brasileiro, posto haver forte desconfiança de que o aportuguesamento da codificação  notadamente as traduções produzidas pela Federação Espírita Brasileira  teria sofrido forte influência do movimento roustainguista, presumidamente favorecendo ideias estranhas à nossa doutrina (clique aqui para saber mais sobre o roustainguismo).

Conhecemos as traduções da FEB para as obras de Allan Kardec e damos testemunho de que elas são de ótima qualidade e não ousaríamos julgar a idoneidade daqueles que se lhe prontificaram a executar o complexo trabalho que naturalmente é verter para outro idioma qualquer um conjunto de ideias e conceitos tão extraordinários como os da codificação do Espiritismo. Quem tem o mínimo de noção sobre o que é uma tradução sabe que perfeição não é um requisito a ser cobrado aí; uma tradução é basicamente uma versão, uma segunda composição, uma obra nova; mas é um atalho, uma alternativa ao caminho principal que é a leitura do texto original. Nesse sentido, o tradutor é um facilitador, uma espécie de médium entre o comunicante (escritor original) e o leitor que não domina o idioma original da referida obra.

Ademias, como é de praxe, e valendo para todos os gêneros de literatura, as traduções também se renovam periodicamente, seja pelo aperfeiçoamento da contextualização, seja pela adequação à linguagem corrente. No caso das traduções das obras kardequianas, os leitores mais atentos poderão ver que, por exemplo, a tradução febiana de Guillon Ribeiro é muito fidedigna, no sentido de paridade de termos linguísticos; vê-se que ele teve uma especial preocupação com isso  o que lhe confere o mérito de fidelidade. Todavia, com o passar do tempo, um ajustamento etimológico se faz aí necessário, porque — coisa curiosa! — o desenvolvimento do nosso idioma (e não necessário o idioma original da obra, o francês) reclama por reajustes. Um exemplo disso é o verbo francês "vulgariser", perfeitamente compatível com o nosso termo "vulgarizar" no contexto da tradução de Guilon Ribeiro — coisa de um século atrás; no entanto, sua aplicação no sentido de "popularizar" caiu em desuso no Brasil, dando lugar a uma ideia bem diferente — uma conotação negativa, a propósito.

Outro caso: no capítulo XI, item 34 de A Gênese, o texto original vai fazer menção a "idiots" e "crétins", que tradutores mais literais como Guillon (seguidos por outros, como Carlos Imbassahy) verteram para os termos mais diretos: "idiotas" e "cretinos", respectivamente, cuja conotação na nossa linguagem atual difere da aplicação técnica desses termos naquele século XIX, fazendo menção às pessoas portadoras de déficit de inteligência por ocasião de problemas físicos, a quem hoje não é nada elegante nos referimos naqueles mesmos termos. Resoluções de órgãos internacionais ligados à saúde e aos direitos humanos recomendam substituí-los por outras expressões, como "deficientes mentais" (ver aqui), tal como o faz a nova tradução que ora ofertamos ao público.

Enfim, especialmente atentos a essas questões, e completamente comprometidos em oferecer mais uma opção de leitura em português da obra iluminadora e consoladora de Allan Kardec, é que colocamos à disposição de todos  gratuitamente — o ebook com esta nova tradução de A Gênese, os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo, em dois formatos: PDF e EPUB.


Clique aqui para ler online ou fazer o download.

Concluída esta tradução, Ery Lopes trabalha agora numa nova tradução para as demais obras de Allan Kardec, começando por O Livro dos Espíritos. Tão logo esteja pronta cada uma das edições, divulgaremos aqui.


* * * * * *

E para ficar bem atualizado de tudo o que ocorre de mais importante no movimento espírita, siga-nos pelo FacebookTwitter Instagram.

Assine também gratuitamente o nosso newsletter Informe Luz Espírita.

Um comentário:

  1. Parabéns! Um ótimo trabalho e uma bela contribuição ao movimento espírita.
    Em breve, estará disponível, no Obras de Kardec, uma nova edição do ebook com a tradução comparada de A Gênese (1a e 5a edição), atualizado para esta nova versão. Futuramente oferecermos também uma edição bilíngue.

    ResponderExcluir